Botucatu: Prefeitura ainda não definiu se irá suspender a cobrança do Parquímetro

Com a suspensão do funcionamento do comércio ao público  de 23 de março a 30 de abril, como medida emergencial de combate à Covid-19 (novo tipo de coronavírus), a Prefeitura de Botucatu tem aos poucos delineando detalhes sobre os principais corredores comerciais. No entanto, um ponto ainda sem definição é sobre uma possível suspensão da cobrança de estacionamento rotativo.

O decreto nº. 11.943/20, de 19 de março, assinado pelo prefeito Mário Pardini suspende o atendimento presencial das lojas ao público sob a pena de cassação de alvará em caso de descumprimento. Trabalho interno e delivery estão permitidos conforme decreto.  Está permitido o funcionamento de farmácias, mercados, feiras livres, açougues, mercearias, quitandas, padarias, lojas de alimentação para animais, distribuidoras de gás e água mineral e postos de combustíveis

Procurado pelo Notícias, Rodrigo Fumis, Secretário Adjunto de Assuntos de Transporte, responsável pela gestão da infraestrutura e mobilidade urbana em Botucatu, salientou que a cobrança estará normal neste sábado, das 9 as 17 horas. No entanto, frisou que a situação será analisada nos próximos dias.

Atualmente mil vagas de estacionamento são tarifadas em Botucatu. A área de abrangência dos parquímetros na Vila dos Lavradores atualmente contempla: Rua Major Matheus, entre a Rua Milton Meris Jaqueta e Rua Vitor Atti; Rua Tenente João Francisco, entre a Rua Galvão Severino e Rua Cesário Motta; Rua Cruz Pereira, Braz de Assis, Floriano Simões, Cesário Motta, entre as Ruas Rodrigues César e Tenente João Francisco e Praça Levi de Almeida.

No Centro Rua Amando de Barros, Curuzu, João Passos e Floriano Peixoto até o início da Rua Tiradentes. Travessas da Rua Prudente de Moraes até a Djalma Dutra. O sistema funciona de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas, e aos sábados das 9 às 17 horas.

Notícias Botucatu

Scroll Up