26 fevereiro, 2024

Últimas:

Botucatu: Pesquisa da Unesp sobre pré-diabetes tem prazo de inscrição até 20 de maio

Anúncios

O trabalho, coordenado pelo INTERSSAN, avaliará suplementação alimentar com a Eriocitrina.

Pesquisadores do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu (IBB) estão selecionando voluntários sem risco para diabetes ou com pré-diabetes (com o nível de glicose no sangue entre 100 e 140mg/dL), e com idade acima dos 40 anos, para uma pesquisa acerca da utilização da Eriocitrina. As inscrições para participar da pesquisa estão abertas até o próximo dia 20 de maio.

Anúncios

O trabalho, coordenado pelo Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação para Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Interssan), ligado ao IBB, realizará nos voluntários uma bateria de exames e acompanhamento, durante seis meses, por médicos e nutricionistas. Nesse período, os voluntários vão consumir um suplemento que contém extrato da casca do limão, especialmente do limão amarelo ou siciliano. Este suplemento contém compostos conhecidos como flavonoides, e entre eles a Eriocitrina, composto orgânico, vegetal, encontrado naturalmente em limões e laranjas, e sem contra indicação para ser tomado como suplemento alimentar.

Pessoas que estejam acima do peso, tenham pressão alta, ou utilizam medicamento para baixar a glicemia por orientação médica, podem também ser voluntários.

Anúncios

A proposta deste estudo é que o voluntário receba o fitoterápico junto com o tratamento convencional para diabetes e pré-diabetes, à base de Cloridrato de Metformina (Glifage). Os pesquisadores querem analisar se o efeito do medicamento é intensificado quando administrado com o suplemento de Eriocitrina.

Para garantir a segurança da saúde dos participantes, essa pesquisa foi avaliada e autorizada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu (FMB/Unesp).

“Pesquisas já realizadas com a Eriocitrina sem a Glifage e já publicadas revelaram excelentes resultados”, explica Thais César, uma das professoras responsáveis pelo estudo. Ela informa que o suplemento aumenta o GLP-1, substância hormonal produzida pelo intestino que estimula a produção de insulina, melhorando a condição clínica do paciente.

O estudo usa a metodologia denominada ensaio duplo cego, quando pesquisadores e voluntários não sabem o que está sendo ingerido, se o suplemento Eriocitrina ou o placebo dele (amido), garantindo maior confiabilidade aos resultados finais.

Os voluntários interessados vão passar por uma entrevista e caso sejam selecionados não terão nenhuma despesa com o tratamento, inclusive de alimentação e transporte, quando necessários. As inscrições devem ser feitas pelo WhatsApp (14) 99132-7447.

Últimas

Categorias