Botucatu: Onça-parda atropelada, e levada ao Cempas, teve que ser sacrificada

A onça-parda, que estava em tratamento no Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Selvagens (CEMPAS) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), em Botucatu, após ter sido atropelada, no último sábado, dia 09, na km 225 da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, em Bauru, precisou ser sacrificada.

O animal, que foi resgatado pela Polícia Rodoviária, junto ao Corpo de Bombeiros, sendo encaminhado ao Zoológico de Bauru, onde recebeu os primeiros socorros veterinários, com escoriações pelo corpo, cortes na língua e uma possível fratura na coluna, precisou ser levado ao Cempas, em Botucatu, para realização de exames específicos. Os veterinários responsáveis pelo atendimento foram Heloísa Coppini de Lima e Eduardo Burgarelli Mayrink Cardoso.

As imagens, em Botucatu, revelaram uma grave fratura, com rompimento completo da medula espinhal. A onça nunca mais poderia movimentar as pernas, nem conseguiria urinar e defecar sozinha. Por conta deste quadro irreversível, e incompatível com a sobrevivência de um animal selvagem, a opção restante para o caso foi a eutanásia do animal.

O atropelamento é uma das principais causas da extinção de animais silvestres. Além de ser um grave problema ascendente na região, também é um grande risco aos motoristas.

Leia Notícias – com informações Zoo Bauru