Botucatu: Moradores da Cohab 2 recebem ameaças após denunciar aglomerações e perturbação do sossego na região

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Moradores da Cohab 2 relataram receber ameaças e coação por denunciar aglomerações em uma praça que recentemente foi revitalizada na região. Segundo consta, a praça instalada nas proximidades do residencial Cachoeirinha recebe constantemente populares e que, em algumas oportunidades há abuso no uso do espaço com abuso de bebidas alcoólicas e também de som alto durante a madrugada.

“Todas as noites, e principalmente aos finais de semanas, estão havendo aglomerações de 60 a 100 pessoas em média nesta praça. Bebida, drogas e brigas são frequentemente encontradas.  Bagunça, Carros com som no último volume, e muitos tirando “racha” e até mesmo andando na contramão”, disse um dos moradores que teve a identidade preservada por temer represálias.

Os moradores salientaram ainda que na madrugada desta segunda-feira, 7 de setembro, o som prosseguiu com diversas pessoas se aglomerando na praça. “Já conversamos com o prefeito e ele disse para que fizéssemos boletim de ocorrência. Nos últimos dias esse barulho parou por causa do frio, mas desde sexta-feira isso voltou. Perceberam que estava filmando a praça e passaram a me ameaçar, com o carro passando diversas vezes em frente a minha casa”, disse uma moradora.

“Moramos nessa região há 20 anos, mas o problema se acentuou após a construção do Cachoeirinha. Não há problema algum de as pessoas usem e se divirtam, mas essa situação ocorre constantemente pela madrugada. Saio para trabalhar pela manhã e há pessoas na praça bebendo. Não vemos saída ou que mesmo isso vá parar”, salientou a mesma moradora.

A mesma moradora disse que já fez queixas da situação junto à Polícia Militar e Guarda Civil Municipal (GCM). Ao gravar a situação na madrugada desta segunda-feira, salientou que tanto ela quanto o filho foram coagidos a parar com a gravação por alguns populares. Os mesmos colocaram som alto e ficaram passando de carro (segundo identificado, um Volkswagen Gol de cor branca) em frente à residência. Em determinado momento teriam dito “”Aqui é o Jardim Brasil e nada muda. O crime manda aqui no Jardim Brasil”, “Você mora na rua da biqueira, a favela venceu, e sempre vai vencer”.

Procurada, a Guarda Civil Municipal (GCM) ressaltou que tem feito rondas e ações juntos a populares em espaços públicos para reduzir a aglomeração nestes locais. Neste local deverá intensificar o patrulhamento. Salientou que em caso de ameaças ou coação, as pessoas devem procurar imediatamente a Polícia Militar ou mesmo a Polícia Civil para registro da queixa.

O crime de ameaça está previsto no artigo 147 do Código Penal e consiste no ato de ameaçar alguém, por palavras, gestos ou outros meios, de lhe causar mal injusto e grave e, como punição, a lei determina detenção de um a seis meses ou multa.

Em Botucatu, a perturbação do sossego está tipificada na Lei 4127, de 2000, e que no artigo 1º especifica que na “área Urbana de Botucatu é proibido perturbar o sossego e o bem-estar públicos e da vizinhança com a emissão de sons de qualquer natureza e vibrações que ultrapassem os níveis fixados para as diferentes zonas de uso e horários pela presente lei, sem prejuízo da legislação federal e estadual respeitante à matéria, prevalecendo a mais restritiva”. As multas podem variar de R$ 100 a R$ 1000.

Por Flávio Fogueral

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes