Botucatu: Hospital Estadual será reaberto para atendimento de pacientes não Covid-19

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Mais um reforço no sistema público de saúde será acionado em Botucatu para a assistência na pandemia de Covid-19. Foi confirmada para esta terça-feira, 2 de fevereiro, a reabertura do Hospital Estadual de Botucatu, que estava desativado desde o final do ano passado. O anúncio ocorreu após reunião entre autoridades locais e o Secretário Executivo de Estado da Saúde, Eduardo Ribeiro.

A perspectiva é que o Hospital Estadual seja destinado para que pacientes sem diagnósticos para a Covid-19 venham receber tratamento na unidade secundária, o que possibilitaria ampliar o número de leitos em enfermaria e terapia intensiva (UTI) exclusivos no Hospital das Clínicas de Botucatu (HCFMB). A unidade possui atualmente 30 vagas em UTI, mas opera acima de sua capacidade. Quanto às enfermarias para a enfermidade, o número é de 50 vagas, com quase sua totalidade em uso por pacientes vindos de todo o interior paulista.

Sob gestão do próprio HCFMB, o Hospital Estadual Botucatu está localizado no Jardim Aeroporto (em área antes usada pelo Hospital Cantídio de Moura Campos), possui capacidade total de 80 leitos, sendo que 20 leitos estão em funcionamento. Possui, também, quatro salas cirúrgicas, sendo que três operam concomitantemente.

“Essa medida se traduz em um melhor fluxo de atendimento para pacientes não COVID no Hospital Estadual, além de abrir a possibilidade de acomodação de maior número de pacientes com COVID-19 no HC da Unesp”, disse o prefeito Mário Pardini sobre a reativação.

Devido à situação enfrentada pela rede pública quanto à saturação dos leitos no HCFMB , a Prefeitura de Botucatu anunciou no sábado, 30 de janeiro, um pacote emergencial de medidas, que incluem o acionamento de leitos em rede privada, custeadas pelo município. Além disso, promoverá o acionamento de mais 18 leitos semi-intensivos exclusivos para a covid-19 no Pronto Socorro Adulto e no Hospital Sorocabana.

Além do acionamento do Hospital Estadual Botucatu, os gestores frisaram a necessidade de que haja maior suporte do governo estadual para suprir a demanda por assistência exclusiva em covid-19. “Um plano de trabalho será elaborado ainda durante esta semana entre a Superintendência do HC, Diretoria Regional de Saúde e Secretaria Estadual de Saúde, para definir as necessidades e capacidade de ampliação da assistência”, finalizou Pardini.

Participaram da reunião o Secretário de Saúde, André Spadaro, o Supertintendente do Hospital das Clínicas de Botucatu, Dr. André Balbi, o presidente da Famesp, Antônio Rugolo, e o chefe de gabinete da Reitoria da Unesp, César Martins.

Flávio Fogueral – Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes