Botucatu: Grupo com dezenas de funcionários da Irizar retornou da Espanha. Eles estão sendo monitorados pelas equipes de Saúde, em função do Coronavirus

Um grupo de funcionários da filial de Botucatu da Irizar Brasil, multinacional de ônibus, está em quarentena para análise da presença de Covid-19, denominação do novo tipo de coronavírus. Os colaboradores estavam na Espanha, um dos países com crescente na prevalência da doença. 

Segundo informações fornecidas ao prefeito Mário Pardini ao radiojornal Jornal da Clube Gente na manhã desta segunda-feira, 16 de março, o grupo retornou da Espanha devido à decisão do governo local. “Já temos a informação que ontem, 52 pessoas chegaram da Espanha Falei ontem com o Paulo Cadorin (diretor da empresa)  para saber de providências, como isolamento social, que foram tomadas. As pessoas estão em férias acompanhadas de perto pelas equipes da Saúde para garantir que não ocorra a transmissão de forma comunitária”, salientou o prefeito. 

A Irizar Brasil, por meio de sua assessoria de imprensa, reforçou que se manifestará ao longo do dia sobre a situação. Uma reunião com a direção e líderes de setores da produção ocorreu durante toda a manhã para adoção de medidas dentro da empresa. 

Viagens de funcionários para a matriz na Espanha é uma prática comum na empresa. Durante três meses os colaboradores desenvolvem atividades laborais e passam por qualificação. No caso deste grupo, o retorno seria apenas no início de abril, mas foi antecipada devido a uma decisão do governo espanhol. O país, com mais de 5 mil infectados e 170 mortos, entrou em estado de emergência, proibindo a entrada de estrangeiros para lazer e turismo, motivando o retorno dos botucatuenses.  

No final de semana a Prefeitura de Botucatu anunciou medidas para o controle da possível contaminação do vírus. Entre as decisões estão a antecipação das férias da rede municipal de julho para abril; bem como a suspensão de eventos públicos. Outra é a suspensão de férias e licenças-prêmios de profissionais da saúde, com validade por 90 dias.

Leia Notícias com Flávio Fogueral

Scroll Up