Botucatu: Familiares de homem que matou a ex nega perseguição. “Ela que não aceitava o término”

Familiares de Florêncio Nunes Neto, de 45 anos, que matou a ex-namorada, Isabele Vicentini, de 41 anos, nesta segunda-feira, 22, entrou em contato com a reportagem para passar a versão da família sobre a relação entre os dois.

De acordo com eles, Florêncio não ameaçava a vítima, que, na verdade, ocorria o contrário. Os familiares adiantaram que nada justifica o fato do homem ter matado a mulher, que não concordam com o crime, mas que ele estava sendo perseguido por ela.

“Não é verdade que estavam namorando há 2 anos. Eram 7 meses e ele estava há 3 tentando separar, mas ela não estava reagindo bem. Ela, que era farmacêutica, dopou ele com remédios, depois tentou jogar o carro em cima dele, para matá-lo, na rua, duas vezes. Eles começaram a namorar quando ele trabalhava de pedreiro na casa dela”, contaram.

A família dele confirmou que ele havia sequestrado ela, mas segundo a família foi apenas para convencê-la sobre a separação. “Ele disse que sequestrou para dar um susto nela, para ela entender que tinha acabado”, disse uma familiar dele.

A reportagem questionou o que teria levado ele a cometer o crime e assassinar a mulher, em sua casa. A familiar não soube responder, mas lamentou as mortes.

Jornal Leia Notícias

Scroll Up