Botucatu extingue mais de 800 postos de trabalho em março. Maior número desde o início da pandemia

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Botucatu sentiu, em março, a interrupção em sua recuperação na geração de empregos, após dois meses de altas consecutivas. Foram extintos 818 postos formais de trabalho no período, conforme o Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados (Caged), ferramenta oficial do Ministério da Economia.

O saldo em março é resultante de 1931 demissões e 1113 contratações nos cinco maiores segmentos econômicos presentes no município. Em 2021 os meses de janeiro e fevereiro obtiveram saldos positivos, com a geração de  113 e 145 postos, respectivamente. No acumulado do trimestre há a extinção de 550 vagas, resultantes de 3.970 contratações e 4.520 demissões.

Foi o pior resultado em mais de um ano, superando os meses mais críticos da pandemia de Covid-19. O desempenho está acima até mesmo do obtido em março de 2020, quando ocorreu a extinção de 705 postos de trabalho com carteira assinada. Neste período, também foram observados desempenhos negativos significativos em abril (559), junho (200), setembro (224) e dezembro (444).

Em março todos os cinco segmentos econômicos registraram saldos negativos quanto à geração de emprego. O maior impacto deu-se no Agronegócio, quando 591 postos formais foram encerrados definitivamente (656 demissões e 65 demissões). Outro setor com alto impacto foi a Indústria, com encerramento de 106 vagas formais (259 demissões e 153 contratações), seguido ainda pelo de Serviços quando, no período, ocorreram 633 demissões e 565 contratações, resultando no encerramento de 68 postos.

Já comércio observou a extinção de 50 vagas formais em março, resultantes de 298 desligamentos e 248 admissões nas empresas existentes.  Por fim, a Construção Civil teve o menor impacto, cujo saldo foi de encerramento de três postos, onde foram demitidos 85 trabalhadores e demitidos, 82.

Por gênero, homens foram os mais afetados com encerramento de 649 postos formais no referido mês. Já mulheres observaram a extinção de 169 oportunidades. O levantamento do Caged ainda apresenta que os saldos negativos ocorreram mais em pessoas de 30 a 39 anos (250), 18 a 24 anos (165), 40 a 49 anos (159), 25 a 29 anos (135) e em botucatuenses de 50 a 64 anos (112).

Já por nível de escolaridade, as maiores extinções de vagas, em Botucatu, foram nos que possuem Fundamental Incompleto (501), Médio Completo (197), Fundamental Completo (50), Médio Incompleto (45) e, em pessoas analfabetas (26).

Flávio Fogueral – Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes