24 de julho, 2024

Últimas:

Botucatu: Departamento de Clínica Médica da Unesp comemora 55 anos de atuação

Anúncios

Oficialmente, o dia 20 de novembro de 1967 marca a criação do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB/UNESP). Nascido com o nome de Departamento de Medicina, ligado à Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (FMCBB), já a partir de 1965 seus membros desenvolviam atividades didáticas e de natureza médico-hospitalar com alunos das primeiras turmas.

Nesta sexta-feira, 18 de novembro, uma cerimônia no Salão Nobre da FMB marca a celebração dos 55 anos do Departamento de Clínica Médica, com homenagens aos profissionais que ao longo do tempo ajudaram a construir uma história de contribuição à formação no campo da saúde e de assistência à população.

Anúncios

departamento-de-clinica-medica-equipe-materia.jpeg

Para falar a respeito da atuação do Departamento, sua trajetória e os desafios para o futuro, a reportagem entrevistou a professora Vania dos Santos Nunes Nogueira, que atualmente responde pela chefia da unidade. Confira abaixo a íntegra da entrevista:

O Departamento de Clínica Médica está ligado à própria origem da Faculdade de Medicina. Qual sua principal contribuição para consolidação da FCMBB, e posteriormente a FMB, como instituição de grande valor para o ensino médico no país?

Anúncios

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: O Departamento de Clínica Médica foi inicialmente intitulado Departamento de Medicina e oficialmente instituído em 20 de novembro de 1967. No entanto, desde setembro de 1965, os seus membros desenvolviam atividades didáticas e assistenciais com os alunos das primeiras turmas da FCMBB. Entre abril de 1963 e setembro de 1965, os alunos da primeira turma de medicina cursaram as disciplinas da área básica. Na sequência, em setembro de 1965 foi criado o Curso Integrado de Propedêutica para alunos do 3º ano médico. Ao final de 1968, o departamento contava com um grupo de docentes pioneiros, que conseguiu brilhantemente realizar atividades didáticas, assistenciais e administrativas. Compuseram este grupo os professores Álvaro O. Campana, C. Cicogna, Augusto C. Montelli, Dináh B. Almeida, Domingos A. Meira, Eder Trezza, Neuza L. Dillon, Paulo E.A. Machado, Paulo J.F. Tucci, Tibirê A. Rezende e Yoshio Kiy.

Quais as principais mudanças sofridas pelo Departamento ao longo de sua história?

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: Em 1969 o departamento optou pela individualização das especialidades e foram implantadas várias disciplinas. Neste mesmo ano, o departamento exercia também atividades didáticas na Residência Médica, que contava na época com a enfermaria de Clínica Médica que tinha 45 leitos. No final de 1988, o departamento contava com as disciplinas de Cardiologia, Clínica Médica Geral, Endocrinologia e Metabologia, Gastroenterologia, Hematologia, Medicina Intensiva, Nefrologia, Patologia Clínica, Pneumologia e Reumatologia. Atualmente, são treze as disciplinas atuantes no Departamento, as dez citadas acima e Biologia Molecular, Nutrologia e Geriatria e Gerontologia. O departamento tinha como diretriz o aperfeiçoamento científico de seus docentes. Assim, após a obtenção do título de doutor, este aperfeiçoamento era consolidado por meio da realização de estágios no exterior. Os estágios iniciais foram realizados nos Estados Unidos, França, Guatemala, Inglaterra e México. Com isto, as condições estruturais e as atividades científicas permitiram a criação do curso de pós-graduação. Assim sendo, em 1981, o departamento implantou o Curso de Pós-Graduação em Fisiopatologia em Clínica Médica com programas de Mestrado e Doutorado em três Áreas de Concentração: Cardiologia, Metabolismo e Nutrição e Nefrologia. O credenciamento do curso pelo Conselho Federal de Educação ocorreu em junho de 1987. A partir disto, outros docentes do departamento passaram a realizar estágios no exterior, de maneira que grande parte deles tem colaboradores internacionais em suas pesquisas. Hoje, vejo o departamento muito amadurecido e atuante em todas as instâncias da FMB e da UNESP. O magnífico reitor da UNESP é docente do departamento de Clínica Médica, a vice-diretora da FMB é também docente do nosso departamento, temos ainda outros docentes na coordenação da CPA, da PROPG e outras áreas da reitoria. Um dos coordenadores de uma das áreas da CAPES também é docente do nosso departamento. Ressalto que dos quarenta Docentes da FMB que atualmente recebem Bolsa Produtividade em Pesquisa do CNPq, doze pertencem ao Departamento de Clínica Médica, e mais três novos docentes do departamento tiveram os seus projetos aprovados dentro do limite orçamentário para o próximo triênio.

Atualmente, como está organizado o Departamento de Clínica Médica?

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: O departamento atualmente tem 36 docentes, sendo 10 professores titulares, 17 professores associados, e nove professores assistentes doutores. A maioria tem regime de trabalho RDIDP. Dez professores eméritos da FMB pertencem ao Departamento de Clínica Médica. O departamento conta ainda com 20 médicos Unesp, 61  médicos  FAMESP e 24 médicos Secretaria da Saúde, e 20 professores substitutos. A secretária do departamento é servidora da Unesp, contamos com mais outros três funcionários que atuam na secretaria do departamento de contratação FAMESP.

Na graduação, como se dá a participação do Departamento na formação de médicos e alunos do IBB?

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: O departamento  participa desde as primeiras turmas do curso de medicina. Teve uma participação ativa na reestruturação curricular. Atualmente o departamento participa da 1ª a 6ª série e tem ampliado esta participação no decorrer dos anos. Com o currículo novo, neste ano de 2022 apenas com a quarta série houve um aumentou de 219 horas por ano no estágio de Medicina Interna I e 744 horas por ano no Estágio de Urgência e Emergência I e Oncologia. O departamento tem também participação ativa na coordenação dos módulos e das séries. Teve e continua tendo uma participação ativa  na coordenação do conselho de curso. Em 2021 e 2022, o departamento recebeu 144 visitas de curta duração de estudantes de medicina e médicos residentes de outras instituições do Brasil. Internacionalmente tem recebido estudantes principalmente da Europa e América Latina. Desde o ano 2000 o departamento também desenvolve atividades didáticas no curso de Nutrição do IBB.

Como se dá o trabalho de Residência Médica e Aprimoramento? 

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: Atualmente, o departamento conta com 16 programas de residência médica: Cancerologia Clínica, Cardiologia, Clínica Médica, Ecocardiografia, Endocrinologia e Metabologia, Endoscopia, Gastroenterologia, Geriatria, Hematologia e Hemoterapia, Medicina de Urgência, Medicina Intensiva, Nefrologia, Patologia Clínica/Medicina Laboratorial, Pneumologia, Reumatologia e Clínica Médica.

Como avalia a atuação do Departamento no tocante a pós-graduação e a pesquisa?

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: Como dito anteriormente, o departamento de Clínica Médica criou o programa de  pós-graduação em Fisiopatologia em Clínica Médica, que na última avaliação da CAPES recebeu a nota 6. O curso recebe alunos com formação em ensino superior das áreas de Ciências da Saúde e Ciências Biológicas em nível de Mestrado e Doutorado Acadêmicos com perspectiva de formação em docência e pesquisa clínica e experimental. O programa possui uma área de concentração e cinco linhas de pesquisa. As linhas de pesquisa são: a) Remodelação e suas Repercussões Cardiovasculares e Sistêmicas; b) Biologia Molecular Aplicada ao Diagnóstico de Doenças e Caracterização de Genótipos; c) Aspectos Fisiopatológicos, Diagnósticos, Clínicos e Terapêuticos de Doenças em Medicina Interna; d) Aspectos Clínicos e Laboratoriais da Doença Renal e da Terapia Renal Substitutiva; e) Alterações Metabólicas e Nutricionais Associadas a Diferentes Situações Clínicas. Docentes deste programa também foram contemplados pelo programa CAPES Print (Programa Institucional de Internacionalização) que foi lançado pela CAPES. Gostaria também de ressaltar a participação do departamento na criação do programa de pós-Graduação em Pesquisa Clínica, que é um curso de Mestrado Profissional da FMB, iniciado em 27 de julho de 2015. Em 2016, o programa passou a ser da Faculdade de Medicina de Botucatu e do CEVAP, permitindo a formação em habilidades que vão desde o processo de desenvolvimento de produtos até a gestão da pesquisa e aplicação desses produtos em seres humanos (da bancada ao leito). O programa tem como linhas de pesquisa: Pesquisa Clínica para o complexo econômico e industrial da saúde; Pesquisa Clínica; Avaliação de tecnologias em saúde. Na segunda avaliação da CAPES o programa recebeu a nota 4. Vejo com tudo isto que o departamento de Clínica Médica tem trabalhado como um grupo de excelência em pesquisa, fato comprovado pelas publicações de grande relevância de seus docentes, médicos e pesquisadores.

Qual a contribuição na área de assistência?

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: A participação do departamento na assistência sempre foi muito marcante, representada pela contribuição que se inicia com o cuidado direto ao paciente, e que se estende ao ensino médico de qualidade e à gestão do SUS. Os membros do departamento são responsáveis por intensa atividade assistencial e de gestão nas unidades que compõe o HCFMB, bem como no Centro Saúde Escola da FMB. A maioria dos médicos e docentes é responsável por algum serviço de saúde oferecido pelo HCFMB e a maioria atua diretamente no cuidado ao paciente. A contribuição na assistência tem também se estendido na gestão. O atual superintendente do HCFMB é docente do nosso departamento. Destaco também a participação de docentes/médicos do departamento na coordenação do Pronto Socorro Referenciado, no Time de Reposta Rápida, na UTI Clínica, nas enfermarias do HCFMB, na Unidade de transplante e no Centro Saúde Escola. Destaco também a participação fundamental dos docentes, médicos e residente do departamento de Clínica Médica durante a pandemia da COVID 19, que não mediram esforços para conduzir o tratamento dos pacientes hospitalizados nas enfermarias como também nas UTIs.

Quais os principais desafios para o futuro?

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: O Departamento de Clínica Médica é atualmente o maior departamento da FMB e vem trabalhando e se integrando em perfeita sintonia, o que é comprovado pela sua produção na assistência à saúde, na graduação, gestão, pesquisa e extensão. O maior desafio é atrair novos docentes para que este trabalho seja continuado por gerações futuras.

Como se sente sendo a chefe do Departamento no momento em que ele completa 55 anos de atuação?

VANIA DOS SANTOS NUNES NOGUEIRA: Sinto-me muito feliz e honrada por fazer parte da história do Departamento de Clínica Médica. Apesar de não estar aqui desde o começo, refletir na história do departamento fez-me sentir mais parte dele. Obviamente, carrego uma grande responsabilidade de chefiar o maior departamento da FMB. No entanto, apoiada pela estrutura que o departamento adquiriu ao decorrer dos anos junto ao trabalho imensurável dos funcionários da nossa secretaria, esta missão tem sido muito agradável.

(Fontes: site da FMB e livro comemorativo aos 50 anos da FMB)

Talvez te interesse

Últimas

Anúncios Luzia Tancler Salgueiro – 101 anos Sepultamento Cemitério Portal das Cruzes 24/07/24 às 10h Velório Complexo Anúncios Ezequiel Martins...

Categorias