Botucatu: Coronavírus atrasa liberação do trecho da Marechal Rondon onde cratera se abriu após chuva, diz concessionária

A concessionária que administra a Rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu (SP), informou que as obras no trecho onde uma cratera se abriu após a chuva em fevereiro atrasaram por causa da pandemia de coronavírus.

Dois após cratera se abrir, obras na Rondon ainda não foram concluídas; três morreram
Dois meses após cratera se abrir, obras na Rondon ainda não foram concluídas; três morreram (Foto: Reprodução/TV TEM)

A liberação do quilômetro 258, sentido capital – interior, estava prevista para os primeiros dias de abril. No entanto, segundo a concessionária, a pandemia atrapalhou a entrega dos materiais para as obras e alguns funcionários tiveram que ser afastados por pertencerem ao grupo de risco.

Trecho da Rodovia Marechal Rondon foi liberado em pista simples no dia 14 de fevereiro em Botucatu — Foto: Paola Patriarca/G1
Trecho da Rodovia Marechal Rondon foi liberado em pista simples no dia 14 de fevereiro em Botucatu (Foto: Paola Patriarca/G1)

Agora, a liberação do trecho está prevista para o final de abril. Entre Marília e Júlio Mesquita, uma cratera também se abriu com a chuva na Rodovia Dona Leonor Mendes de Barros (SP-333) e o trecho foi liberado dois meses depois.

Acidentes

Caminhão invade trecho interditado e cai em cratera que se abriu após chuva em Botucatu — Foto: Arthur Neves/TV TEM
Caminhão invade trecho interditado e cai em cratera que se abriu após chuva em Botucatu (Foto: Arthur Neves/TV TEM)

A cratera que se abriu após a chuva de fevereiro em Botucatu foi responsável por uma série de acidentes, com vítimas fatais.

No dia 10 de fevereiro, um motorista morreu depois que o caminhão dele foi “engolido” pela cratera que se abriu na pista. Um carro também chegou a ser arrastado pela enxurrada, mas o motorista não se feriu. A rodovia ficou interditada nos dois sentidos.

Outro caminhão invadiu trecho, mas não chegou a cair na cratera em Botucatu — Foto: Arthur Neves/TV TEM
Outro caminhão invadiu trecho, mas não chegou a cair na cratera em Botucatu (Foto: Arthur Neves/TV TEM)

Quatro dias depois, a concessionária liberou a pista leste, no sentido interior – capital, para o tráfego nos dois sentidos em pista simples. No dia 24, o motorista de um ônibus furou a sinalização e invadiu a área de isolamento. Ele caiu na cratera e morreu no local do acidente.

No dia 29, o motorista de um caminhão também invadiu a sinalização e caiu na cratera. Ele foi socorrido para o Hospital das Clínicas, mas morreu no dia seguinte.

Horas depois desse acidente, a concessionária informou que outro caminhão invadiu a interdição e também quase caiu na cratera. Câmeras flagraram a manobra que o caminhoneiro teve que fazer para evitar cair no buraco, e ele não se feriu.

Depois da sequência de acidentes, a concessionária abriu um novo desvio, pelo canteiro central da rodovia, e não houve mais problemas.

Fonte: G1