Botucatu: Conheça a história de Estefania, a “enfermeira atleta” do HC, que atende pacientes que se recuperaram da Covid

A cada quatro anos uma competição esportiva atrai olhares de todo o mundo: os Jogos Olímpicos. Neste ano de 2021, o Japão sediou o tradicional evento reunindo delegações de diferentes países.

O DNA das Olimpíadas tem em seu núcleo a marca da superação – e superação tem tudo a ver com a nossa Personagem desta edição.

Estefania Aparecida Thomé Franco, 43 anos, trabalha na área de enfermagem há mais de duas décadas, só no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) são 19 anos. Atualmente ela é responsável pelo Laboratório Vascular, do Sono e Função Pulmonar do HCFMB.

A porta de entrada de Estefania no HCFMB se deu por meio de um processo seletivo em 2001 após ela concluir seu programa de aprimoramento na Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB|Unesp). Durante 12 anos, exerceu sua função no Pronto Socorro Referenciado (PSR) e Pronto Socorro Adulto (PSA) do Hospital.

Após realizar um processo de remanejamento interno, Estefania ingressou no Serviço de Função Pulmonar, onde trabalha até hoje. Em virtude da pandemia, a enfermeira tem atuado principalmente com pacientes que se recuperaram da COVID e buscam a reabilitação pulmonar.

Embora sua atividade profissional tenha foco nos pacientes que venceram o coronavírus, ela ainda realiza visita domiciliar com dependentes de oxigênio (ação feita em parceria com assistente social), atende pacientes crônicos e tabagistas, além de outras ações.

Esportes

A rotina difícil de um serviço hospitalar resultou em um cenário preocupante. “Eu era bem sedentária, o nível de colesterol estava começando a ficar preocupante, tinha sobrepeso e um grau de estresse muito alto”, lembra a enfermeira.

Com o quadro de saúde sensível, Estefania decidiu buscar recursos para melhorar seu estado de espírito. Em 2013, iniciou na modalidade de corrida de rua com o grupo Marcha Lenta. Gradativamente foi aperfeiçoando seu condicionamento físico e participou de competições importantes, como a São Silvestre.

Os benefícios decorrentes da prática regular da atividade física são cientificamente comprovados e com Estefania não foi diferente. “Melhorei minha alimentação, os resultados dos meus exames, meu rendimento cardio pulmonar e não tive mais crise de asma”, frisa

Até o ano de 2017 ela permaneceu com as corridas. Mas foi na Mistura de Modalidades de Treinamento ou Mixed Modality Training, popularmente conhecido como Cross Fit, que Estefania fixou raízes e realiza seus treinamentos quatro vezes por semana.

A academia onde ela se exercita é coordenada por seu irmão, que é educador físico, e foi estruturada inicialmente num espaço situado na casa do próprio pai. “A princípio eu passava por lá, olhava, mas não me interessava. Até que um dia eu fiz uma aula e, a partir daí, me encontrei”, lembra.

Competições

Após participar de diferentes competições de corrida de rua, Estefania criou laços ainda mais intensos com os treinamentos.

Desde quando iniciou suas atividades físicas na Mistura de Modalidades de Treinamento, Estefania participou de algumas competições em Jaú, Piracicaba e São Paulo. Hoje ela se prepara para um novo desafio mundial que ocorrerá em fevereiro de 2022.

Em relação ao tempo que começou a praticar atividades físicas até o momento atual, ela faz apenas uma ressalva. “Eu me arrependo de não ter começado antes e estimulo todo mundo a praticar”, finaliza.

Assessoria HC

Scroll Up