Bauru tem 47 mortes de pacientes à espera de leito Covid em março, diz prefeitura

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um balanço divulgado nesta terça-feira (30) pela prefeitura de Bauru (SP) aponta que 47 pessoas morreram na fila de espera por um leito Covid, seja de UTI ou enfermaria, nos 30 dias desse mês de março.

As mortes foram entre pacientes atendidos na estrutura que compreende o Posto de Avançado Covid-19 e Pronto-socorro Central (PSC/PAC), chamada de “Mini Hospital”.

Ainda segundo a prefeitura, até esta segunda-feira (29), o PSC/PAC, que conta com 53 leitos, estava com 49 pacientes aguardando vagas em hospitais do Estado, sendo 11 em UTI e 38 em enfermaria.

De acordo com a administração municipal, no “Mini Hospital”, os pacientes recebem todo o suporte, com acompanhamento médico, de enfermeiros, medicamentos e exames.

Na semana passada, um levantamento feito com base nos boletins divulgados diariamente pela Prefeitura de Bauru já havia apontado um aumento no número de pacientes com Covid-19 que morreram a espera de uma vaga hospitalar. No dia 24 de março, eram 28 mortes de pessoas nessa situação.

Segundo a prefeitura, nos boletins diários, essas vítimas aparecem como pacientes que estavam internados em serviço público quando morreram.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Desde o começo da pandemia, Bauru registrou 32.352 casos de Covid-19, sendo 558 mortes e 29.419 pessoas são consideradas curadas.

Rede hospitalar

Hospital Estadual de Bauru (HEB) — Foto: TV TEM/Reprodução
Hospital Estadual de Bauru (HEB) (Foto: TV TEM/Reprodução)

De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde, a rede hospitalar estadual dedicada ao atendimento de casos de Covid-19 em Bauru registrou na segunda-feira (29) ocupação de 98,6% em UTI e 76,2% em enfermaria. Diante disso, a pasta destacou que é fundamental reforçar as medidas de prevenção e respeitar as diretrizes do Plano São Paulo.

O Hospital Estadual de Bauru (HEB) opera atualmente com 60 leitos de UTI, que estão ocupados no momento, e 68 de enfermaria, com 88% de ocupação. Ainda segundo a secretaria, esse cenário varia no decorrer do dia em virtude de fatores como altas, óbitos ou transferências para leitos de enfermaria ou UTI, por exemplo.

O hospital de campanha instalado no prédio da USP de Bauru registrava na segunda-feira 78% de ocupação nos 40 leitos de enfermaria destinados à Covid-19.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde a rede de saúde está impactada com o aumento de casos e internações. Na segunda-feira, mais de 31 mil pessoas estavam internadas por suspeita ou confirmação de Covid-19. A taxa de ocupação chegou a 92,3% nos leitos de Terapia Intensiva exclusivos para a doença em todo o estado.

Disse também que o governo tem investido na ampliação de leitos e somente neste mês anunciou a abertura de mais de 1 mil leitos e 12 hospitais de campanha. Informou também que até abril, o estado terá mais de 9,2 mil leitos de UTI, contra 3,5 mil antes da pandemia.

A nota destaca ainda que a Central Reguladora de Vagas (CROSS) funciona 24 horas por dia como mediadora entre os serviços de origem e de destino e que “seu papel não é criar leitos, mas auxiliar na identificação de uma vaga no hospital mais próximo e apto a cuidar do caso. Nenhuma negativa parte deste serviço, que é apenas intermediário. Cada solicitação é avaliada por médicos reguladores, sendo crucial a atualização do quadro clínico”.

Completou ainda que “os óbitos podem ocorrer em virtude de quadros clínicos graves e rápida evolução negativa. É responsabilidade do serviço de origem manter o paciente assistido e estável previamente de forma a apresentar condições de transferência, bem como providenciar transporte”.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes