Balanço da pandemia no mundo neste domingo

O novo coronavírus já deixou pelo menos 112.516 mortos em todo o mundo desde que apareceu na China em dezembro, de acordo com um balanço estabelecido pela AFP com base em fontes oficiais, neste domingo às 16h00.

Desde o início da epidemia, mais de 1.824.950 casos foram registrados em 193 países ou territórios. O número de casos diagnosticados positivos, no entanto, reflete apenas uma parte do número total de infecções devido às políticas díspares dos países para diagnosticar os casos. Alguns testam apenas com as pessoas hospitalizadas.

As autoridades acreditam que, até o momento, pelo menos 375.500 pessoas foram curadas da doença. Desde o dia anterior, no mesmo horário, houve 5.441 novas mortes e 79.512 infecções em todo o mundo.

Nas últimas 24 horas, os países com mais mortes foram os Estados Unidos, com 1.607 novas mortes, o Reino Unido (737) e a Espanha (619).

Os Estados Unidos, que relataram sua primeira morte por coronavírus no final de fevereiro, são o país mais afetado tanto em número de mortes quanto em casos com 21.489 mortes e 546.874 infectadas. As autoridades consideram que 32.369 pessoas foram curadas.

Além dos Estados Unidos, os países mais afetados são Itália, com 19.899 mortes e 156.363 casos; Espanha, com 16.972 mortes (166.019 casos); França, com 14.393 mortes (132.591 casos) e Reino Unido, com 10.612 mortes (84.270 casos).

A China continental (sem contar Hong Kong e Macau), onde a epidemia surgiu no final de dezembro, tem um total de 82.052 pessoas infectadas, das quais 3.339 morreram e 77.575 foram completamente curadas. Nas últimas 24 horas, foram registrados 99 novos casos e 0 óbito.

O Burundi anunciou as primeiras mortes relacionadas ao novo coronavírus.

Neste domingo, a Europa contabiliza um total de 77.129 mortes (932.205 infecções), Estados Unidos e Canadá 22.237 (571.167), Ásia 4.896 (137.800), Oriente Médio 4.783 (100.030), América Latina e Caribe 2.615 (61.979), África 786 (14.250) e Oceania 70 (7.525).

Esse balanço foi feito usando dados das autoridades nacionais compiladas pelos escritórios da AFP e com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Fonte: Yahoo!