Avô se declara culpado por deixar neta cair da janela de cruzeiro

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O avô norte-americano Salvatore Anello se declarou culpado das acusações pela morte de sua neta, Chloe Wiegand, que caiu da janela de um cruzeiro no dia 7 de julho de 2019. O caso virou notícia no mundo inteiro. Nesta semana, em audiência, ele, que estava com a menina no colo, declarou-se culpado de homicídio negligente, informou a NBC. Ele conta que, na época, ergueu a menina, que tinha 18 meses, para que ela pudesse bater no vidro como fazia nos jogos de hóquei do irmão. No entanto, o vidro estava aberto e ela caiu de uma altura de 50 metros enquanto o navio estava atracado em San Juan, Porto Rico.

Embora a família não quisesse que o avô fosse acusado, o advogado da família, Michael Winkleman, disse, em um comunicado, que o apelo permitirá que a família siga em frente. “Foi decidido que o acordo judicial é o melhor para que eles possam encerrar este capítulo horrível”, disse. No entanto, ele explicou que, apesar de se declarar culpado, não significa que Salvatore será preso. Provavelmente, ele cumprirá a pena em liberdade condicional no seu estado natal, Indiana, nos Estados Unidos. A sentença deve ser anunciada no dia 10 de dezembro.

Imagens mostram avô com Chloe minutos antes da queda (Foto: Reprodução/Daily Mail)
Imagens mostram avô com Chloe minutos antes da queda (Foto: Reprodução)
Salvatore disse que vai se declarar culpado (Foto: Arquivo)
Salvatore se declarou culpado (Foto: Arquivo)

Na época do acidente, o avô se declarou inocente. No entanto, em fevereiro deste ano, ele escreveu uma carta emocionada dizendo que faria o que fosse necessário para acabar com o pesadelo para a família. O avô, então, apresentou documentos para alterar sua declaração para culpado. “Eu fiz um acordo judicial para tentar ajudar a acabar com parte deste pesadelo para minha família, se possível”, disse ele. “O apoio que eles continuam me dando tem sido esmagador e não posso dizer o quanto sou grato”, completou.

Cruzeiro não chegou a sair do porto (Foto: Reprodução/Daily Mail)
Cruzeiro não chegou a sair do porto (Foto: Reprodução)

Os pais de Chloe, Alan, 41, e Kimberly Wiegand, 37, estão processando a empresa de cruzeiros Royal Caribbean  por danos ilimitados em um processo separado, e continuou apoiando o avô de Chloe durante todo o processo legal. Já a empresa afirma que as alças coloridas nas janelas indicariam que ela estava aberta. O avô, porém, disse que é daltônico e, por isso, não viu que a janela estava aberta. O advogado da família disse que eles continuarão lutando por justiça. “Continuaremos lutando por justiça para Chloe e responsabilizaremos a Royal Caribbean por sua descarada falha em seguir os padrões elaborados precisamente para evitar que crianças caiam das janelas”, disseram, em comunicado.

Pais de Chloe processam a empresa de cruzeiro (Foto: Reprodução/The Sun)
Pais de Chloe processam a empresa de cruzeiro (Foto: Reprodução)

Quando aconteceu a tragédia, a Royal Caribbean divulgou um comunicado estendendo suas condolências à família. “Estamos profundamente tristes com o trágico incidente de ontem e nossos corações estão com a família”, disse.

Chloe caiu da janela do cruzeiro (Foto: Arquivo Pessoal)
Chloe caiu da janela do cruzeiro (Foto: Arquivo Pessoal)

Fonte: Crescer

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes