Atriz e cantora Selma Reis morre aos 55 anos em Teresópolis, no RJ

A atriz e cantora Selma Reis, de 55 anos, morreu às 5h deste sábado (19) no Hospital São José em Teresópolis, na Região Serrana do Rio. O corpo vai ser levado para Nova Friburgo, segundo informações da funerária em Teresópolis, ainda neste sábado. Selma será cremada às 15h na segunda-feira (21), no Cemitério da Comunidade Evangélica Luterana de Nova Friburgo, região serrana do Rio.

De acordo com a unidade de saúde, Selma ficou internada várias vezes. A última internação durou 15 dias. O hospital informou que a atriz sofria de câncer no cérebro.

Ex-marido desabafa: ‘Lutou pela vida até o último momento’

Ex-marido de Selma, o diretor de fotografia Locca Faria contou que Selma descobriu o câncer em julho do ano passado após sentir dores no pé. Os dois haviam se separado há três anos, mas continuavam amigos. “A gente estava fazendo uma caminhada pelas montanhas de Teresópolis quando de repente ela sentiu o pé ficar duro. Depois eu viajei para o Amazonas para filmar e ela me ligou dizendo que estava estranho. Passou um mês fazendo exames no pé e no joelho, até que fez uma ressonância magnética e descobriu um tumor no cérebro em cima da parte motora”, contou Locca, pai de Tiago Reis, de 27 anos, único filho do casal.

Três operações e radioterapia

Através de um amigo, Selma se tornou paciente do neurocirurgião Paulo Niemeyer e dez dias depois da ressonância foi operada por ele. “Nesse espaço de descobrir e operar, quando ela chegou na sala de operação já estava com o lado esquerdo do corpo paralisado. Mas como o Dr. Paulo conseguiu preservar a parte motora dela na cirurgia, um mês e meio depois ela já estava andando de muleta após fazer fisioterapia”, lembrou. “O médico pensou que o tumor fosse benigno e só descobriu que era mesmo um câncer na mesa de cirurgia. Era um tumor de um tipo extremamente agressivo”, comentou. Após a primeira operação, Selma se submeteu a sessões de radioterapia e operou mais duas vezes.

“Ela sofreu muito. Foi muito dolorido. Fomos casados por 32 anos. Ela era minha melhor amiga e eu o melhor amigo dela. A gente nunca se descolou. Fui filmar na Amazônia e no Maranhão, mas a gente estava sempre se falando. Quando soube que ela estava doente aí fiquei ao lado dela o tempo todo”, falou.

Tiago, filho de Selma, tem encontrado conforto nas mensagens de carinho dos amigos e familiares. “Ele está arrasado, é arrasador um negócio desses, barra pesada. Ele é um rapaz forte, mas é muito difícil porque a família éramos nós três e a mãe dela, dona Maria Luiza, de 86 anos. Selma era filha única”, afirmou Locca.

“Era um tumor muito agressivo”

Apesar de tantas dificuldades, o diretor de fotografia garantiu que Selma nunca perdeu as esperanças. “Ela era uma batalhadora, uma lutadora. Lutou pela vida até o último momento. Era uma mulher forte, os médicos ficaram impressionados com a força dela mesmo diante de tantas entradas e saídas do hospital”, falou.

selma-reis-191215A última internação aconteceu no dia 4 de dezembro em decorrência de uma infecção urinária. “Dr. Paulo e a equipe do Hospital São José de Teresópolis foram maravilhosos. Lutamos, mas era um tumor muito agressivo”, afirmou.

Selma Reis morreu às 5h15 de sábado, 19. Ela lutava contra a doença desde julho de 2014 no Hospital São José, em Teresópolis, no Rio. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, após sucessivas internações ela voltou a se internar no dia 4 de dezembro, mas não resistiu.

A última novela de Selma foi “Caminho das Índias” em 2009, quando interpretou Matilde, mãe de Hamia (Fernanda Lacerda) e mulher de Dr. Castanho (Bertrand Duarte). Selma também participou de “Páginas da Vida”, “Presença de Anita” e “Chiquinha Gonzaga”. Como cantora, gravou o seu primeiro disco em 1987, totalizando 11 álbuns em sua carreira.

Fonte: Ego

Scroll Up