Atlético-MG vence o Bahia e é campeão brasileiro após 50 anos

Agora é oficial! O Atlético-MG é campeão brasileiro após 50 anos. Na noite desta quinta-feira, a equipe venceu o Bahia na Fonte Nova com direito a virada impressionante e conquistou o título. O belíssimo jogo coroou a ótima campanha do Galo na competição.

Até os 27 minutos da segunda etapa, o placar mostrava 2 a 0 para o Tricolor de Aço, mas, aos 32, com um de Hulk e dois de Keno, a história era outra, 3 a 2 para o Galo, que enfim sacramentou o título.

Agora, a equipe de Cuca vai a 81 pontos e, faltando apenas duas rodadas para o fim do campeonato, não pode mais ser alcançada pelo vice-líder Flamengo, com 70.

Para o Bahia, o jogo também era decisivo. Não a toa, a torcida lotou a Fonte Nova. Com a derrota, o time permanece na zona de rebaixamento e corre seríssimos riscos de queda à Série B.

Pela próxima rodada, o Atlético-MG comemorará o título de frente para sua torcida, no Mineirão, contra o Bragantino, às 16h (de Brasília) deste domingo. Já o Bahia recebe o Fluminense, no mesmo dia e horário.

A primeira etapa da partida não teve domínio claro de nenhum dos lados. Com as duas equipes tratando o confronto como final de campeonato, os 45 minutos iniciais foram de muito equilíbrio.

O Galo tentou começar mais em cima, circulando a bola pela área do Bahia. A pressão inicial forçou defesas de Danilo Fernandes em chutes de Keno. O Bahia respondeu com cabeceio por cima de Rodriguinho .

A chance mais clara da etapa veio em chute do meio-campista atleticano Nacho Fernández. O argentino invadiu a área pelo lado direito e chutou forte para mais uma bela intervenção de Danilo Fernandes, um dos destaques da primeira etapa.

Os 45 minutos finais começaram no lá e cá. Hulk dominou pelo meio, puxou para a esquerda e soltou a bomba, obrigando, mais uma vez, defesa de Danilo Fernandes. A cobrança de escanteio após a finalização originou ótimo contra-ataque do Bahia. Raí ia ficando cara a cara com Éverson e, ao invés da finalização, optou pelo passe para Rossi, que avançava pelo lado direito, mas Nathan Silva conseguiu cortar.

Quando a partida dava indícios de que voltaria a esfriar, Luiz Otávio fez excelente cabeceio após cobrança de escanteio pela direita. A bola foi no ângulo, sem chance alguma para Éverson.

O gol pôs fogo no jogo. O Galo até tentou ensaiar pressão para buscar o empate, mas o Bahia aproveitou contra-ataque para ampliar a vantagem. Matheus Bahia cruzou e Gilberto desviou para as redes.

Mesmo com dois atrás, o Atlético se recusou a jogar a toalha e conseguiu virada relâmpago. Sasha foi derrubado na área e o juiz apontou a cal. Na cobrança de Hulk, bola para um lado, goleiro para o outro, aos 27 minutos.

Em seguida, aos 28, Keno dominou pelo lado esquerdo da grande área, puxou para a direita e mandou linda bola colocada, no ângulo de Danilo Fernandes, que, desta vez, não pôde defender. Quatro minutos depois, o mesmo Keno bateu da meia-lua para anotar o gol do título e tirar o Galo da fila.

BAHIA 2 X 3 ATLÉTICO-MG

Local: Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Data: 2 de dezembro de 2021, quinta-feira
Horário: Às 18 horas (de Brasília)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Lucas Mugni e Lucca (Bahia); Arana, Sasha e Nathan (Atlético-MG)
Gols:
Bahia:
 Luiz Otávio (16′ do 2T) e Gilberto (20′ do 2T)

Atlético-MG: Hulk (27′ do 2T), Keno (2x) (28′ e 32′ do 2T)

BAHIA: Danilo Fernandes, Nino, Conti, Luiz Otávio e Matheus Bahia; Patrick de Lucca, Mugni (Daniel) e Rodriguinho (Ronaldo César); Rossi, Raí (Juan Ramírez) e Gilberto (Rodallega)
Técnico: Guto Ferreira

ATLÉTICO-MG: Éverson; Mariano, Nathan Silva, Junior Alonso e Guilherme Arana; Tchê Tchê, Zaracho (Igor Rabello) e Nacho Fernández (Sasha); Vargas (Nathan), Keno (Dodô) e Hulk
Técnico: Cuca

Fonte: Yahoo!