Atirador mata 14 crianças e professora em escola nos Estados Unidos

Um tiroteio em uma escola de ensino fundamental no Texas, Estados Unidos, deixou ao menos 15 mortos nesta terça-feira (24), disse em entrevista coletiva o governador do estado, Greg Abbott.

O incidente foi registrado na cidade de Uvalde, a 130 km de San Antonio e o suspeito pelos disparos também morreu no local, segundo as autoridades americanas.

Crianças entram em um ônibus escolar enquanto policiais guardam a cena de um tiroteio suspeito perto da Robb Elementary School em Uvalde, Texas, EUA, em 24 de maio de 2022 (Foto: Reprodução)

14 crianças e uma professora morreram no ataque. A escola, uma “elementary school”, recebe alunos de 5 a 10 anos.

Além das mortes, ao menos 13 estudantes deram entrada em um hospital da região com ferimentos e o banco de sangue da cidade fez um pedido para doações.

Uma criança e uma mulher de 62 anos precisaram ser transferidas para uma cidade vizinha, para um centro de saúde especializado em traumas.

Tiroteio na escola

Criança em meio a policias após tiroteio em escola de ensino fundamental do Texas, nos EUA, em 24 de maio de 2022 (Foto: Reprodução)

No começo da tarde, por volta do meio dia, a polícia de Uvalde respondeu a um chamado na escola de ensino fundamental Robb Elementary.

Eles isolaram a área e pediram que os pais dos alunos aguardassem a liberação e entrega organizada dos estudantes em um local seguro.

Nos EUA, o ano letivo termina em junho, quando começam as férias de verão e a escola Robb Elementary estava em sua última semana de aulas.

Escola de ensino fundamental Robb Elementary em Uvalde, Texas (Foto: Google Street View)

Tiroteios em massa têm se tornado mais comuns nos EUA e o número de casos como esse tem aumentado nos últimos anos.

Há duas semanas, um atirador matou 10 e deixou 3 feridos em um supermercado da cidade de Buffalo, no estado de Nova York.

Desde que assumiu a presidência do país, Joe Biden tem advogado contra a venda de armas e pede maior controle federal sobre o tema.

No ano passado, ele chegou a apresentar uma proposta limitando o acesso, mas o assunto no país é bastante polarizado e o direito de portar armas está na 2ª Emenda da Constituição americana.

Fonte: Yahoo!