Após vacinação em massa, Botucatu quer comparar transmissão domiciliar com a de São Manuel

As prefeituras de Botucatu e São Manuel (SP) fizeram uma parceria para a continuidade da pesquisa de efetividade da vacina da Oxford/AstraZeneca que realizou a vacinação em massa contra a Covid-19 na cidade com a primeira dose do imunizante.

O estudo vai analisar se a transmissão domiciliar, entre as pessoas da mesma família, foi reduzida com a imunização de quase toda a população adulta de 18 a 60 anos de Botucatu em comparação com a cidade vizinha, que segue o calendário de imunização do estado.

Para isso, o estudo vai ceder mais testes a São Manuel que serão feitos em pessoas que já receberam o imunizante e moram com outras pessoas que acabaram contraindo a doença. Os testes serão realizados duas vezes nestas pessoas para garantir que o resultado obtido seja confiável e os dados possam fazer parte da pesquisa.

Patricia Rossanesi, Diretora de Saúde de São Manuel, explica como a cidade vai contribuir com a pesquisa e informa que os testes vão começar a ser realizados na próxima semana.

“Essa parceria vai se dar no levantamento dos dados através da segunda testagem dos pacientes intra domicílio. Assim, São Manuel vai fornecer em forma de cooperação esses dados para o estudo. A avaliação das contaminações intra domicílio é o segundo objetivo da pesquisa. Estamos organizando todo o processo e as equipes para começar a realizar os testes na semana que vem.”

O secretário de saúde de Botucatu, André Spadaro, diz que esse reforço de dados é importante para saber os reflexos da vacinação em massa na cidade que já vem sendo observados com a redução de casos graves.

“Primeiro tem uma redução das transmissões, que por consequência leva a uma redução das internações, e não apenas uma redução numérica, mas um maior percentual de pessoas que não precisam ir para a UTI ou ser intubadas ficam apenas na enfermaria. Então isso em um terceiro momento acaba por reduzir a mortalidade.”

O secretário reforça ainda que com esses dados vai ser possível saber se a melhora da pandemia na cidade aconteceu de maneira mais acelerada na cidade em comparação com outros municípios devido à vacinação em massa.

“É muito importante agora que os pesquisadores responsáveis pelo estudo façam essa comparação das quedas da transmissão, de internações e de óbitos com o que está ocorrendo com os municípios vizinhos, no estado de São Paulo, para que a gente possa entender o que significa a colaboração da vacinação em massa. A vacinação também avança em todo o estado e isso tem feito que esses números tenham caído no estado todo, mas acreditamos que essa queda tenha sido mais acelerada aqui em Botucatu por conta da vacinação em massa.”

População vacinada

Os reflexos da primeira dose da Oxford/AstraZeneca já vem acontecendo. Nos últimos dados divulgados pela prefeitura, houve uma redução de 86,5% da média de casos da doença registrados na cidade quase dois meses após a vacinação em massa.

O município já havia confirmado a terceira queda de casos quando chegou a redução de 81% no dia 5 de julho.

O uso de máscara e distanciamento devem continuar sendo respeitados. De acordo com a prefeitura, assim como na primeira etapa, as ações de vacinação com a segunda dose vão acontecer nos dias 8 e 14 de agosto.

Os moradores que receberam a primeira dose no dia 16 de maio devem completar a imunização no dia 8 de agosto, que será um domingo. Já as pessoas que receberam o imunizante no dia 22 de maio devem tomar a segunda dose dia 14 de agosto, sábado.

Botucatu está em primeiro lugar no número de doses aplicadas no estado de São Paulo, segundo dados do Vacinômetro. Dos cerca de 148 mil habitantes, 122.609 receberam a primeira dose, o que equivale a 82,3% da população geral. A população adulta, porém, está basicamente toda vacinada, de acordo com a prefeitura.

Scroll Up