A Botucatu de 2020, pelas lentes do fotógrafo internacional: Lewi Moraes; veja as fotos

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Lewi Moraes começou a manejar uma câmera fotográfica em Avaré, onde viveu na juventude, nos anos 1960. Profissional de renome internacional, hoje ele é especialista em clicar água para estudos ambientais. Sua maior paixão, contudo, é fotografar flores e insetos.

Com larga experiência na arte da fotografia, Lewi, de 70 anos, já trabalhou na Folha de S. Paulo e na extinta revista Manchete. Atualmente é o correspondente da agência inglesa Nature World Pictures na América do Sul. Cursou Fotografia Científica e Macro no Instituto Internacional de Fotografia, de Barcelona.

Graduado em Jornalismo pela UERJ e em Biologia pela Universidade Federal do Rio, ele mora na Cidade Maravilhosa, mas visita a região com frequência, tendo vindo a Botucatu a trabalho no começo deste mês e onde quis fazer imagens de pontos turísticos e de construções históricas.

“Pratico budismo tibetano e sinto que isso me ajuda muito nas fotos que atualmente faço. Minha linguagem fotográfica e totalmente europeia por necessidade de adaptação aos meus padrões londrinos”, explica.

Hoje, Lewi Moraes diz que o isolamento da pandemia não o incomoda, mas sabe que o seu trabalho é dificultado pelos limites impostos à circulação. “Gosto da introspecção quando vou para o campo. Isso me faz ser bem eremita, meio solitário e me faz bem”, admite.

“O grande barato da fotografia é que ela te leva ao sonho”, diz o profissional que cedeu a sua última série de imagens.

Botucatu Online – Colaborou Gesiel Júnior, de Avaré

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes