500 mil estudantes podem repetir de ano no estado de São Paulo

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Meio milhão de alunos da rede estadual de ensino não entregaram nenhuma atividade proposta pelos professores durante as aulas remotas e podem ser reprovados em 2020 mesmo com os impactos da pandemia do novo coronavírus no ano letivo.

A confirmação foi feita ontem pelo secretário de estado da Educação, Rossieli Soares, que explicou, no entanto, que a retenção não vai levar em conta o nível de aprendizagem, mas sim a participação dos estudantes.

Segundo o titular da pasta, poderão repetir aqueles que não entregarem um número mínimo de tarefas definido por cada escola. Em toda rede, 15% dos estudantes, cerca de 500 mil, ainda não apresentaram nenhuma atividade.

Conforme Rossieli, as escolas realizam busca ativa destes jovens e disponibilizam kits impressos para que os alunos que não fizeram atividades – seja por dificuldade de acesso ou por desinteresse – voltem a participar. Estes estudantes ainda poderão fazer aulas de reforço em janeiro.

“Haverá avaliação das atividades recebidas e o conselho de classe vai definir se o aluno vai progredir ou não. Se ele entregou as atividades, mesmo com problemas na aprendizagem, deve prosseguir. As dificuldades serão contempladas no plano de reforço”, disse o secretário.aulas pandemiaReprodução

Para isso, os anos 2020 e 2021 serão considerados parte de um único ciclo. Os alunos que entregarem as atividades mínimas passarão para a série seguinte e terão as possíveis deficiências identificadas neste ano acompanhadas e trabalhadas no decorrer do ano que vem – e em semanas de estudos intensivos.

Os estudantes aprovados no 3º ano do ensino médio receberão diploma neste ano, mas poderão optar por cursar um 4º ano em 2021, de reforço. Segundo a secretaria, 30 mil jovens, ou 10% dos que estão concluindo a educação básica, manifestaram vontade de cursar a série extra.

As redes municipal e particular têm autonomia para decidir sobre o seu próprio calendário e a reprovação.

AULAS EM FEVEREIRO E PARA TODOS 

O governo do estado também apresentou ontem o calendário do ano letivo de 2021 com o início das aulas em 1º fevereiro, férias em julho e dois recessos de uma semana (em abril e outubro). Segundo Rossieli, a previsão é de cumprimento dos 200 dias letivos de forma presencial para todos os estudantes. “Obviamente, haverá uma avaliação da área da saúde que poderá provocar alguma revisão”. O estado pretende contratar 10 mil professores para as aulas de reforço em 2021 – entre docentes que já estão na rede e queiram fazer atividades extras e também chamando temporários.

Fonte: Jornal Metro

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes