22 de maio, 2024

Últimas:

Relatório de referência prova que o alto consumo de nicotina não leva a altos índices de problemas de saúde

Anúncios

Um novo relatório divulgado hoje em Estocolmo por especialistas internacionais em saúde, “No Smoke, Less Harm ” (Sem Fumo, Menos Danos), apresenta evidências convincentes de que, apesar de níveis semelhantes de consumo de nicotina, a Suécia apresenta taxas significativamente menores de doenças relacionadas ao tabaco em comparação com outras nações europeias.

O relatório, que foi apresentado durante um evento organizado pela Smoke Free Sweden, um grupo global de defesa da saúde, detalha as taxas de consumo de nicotina na Suécia e em vários países comparáveis, constatando que o consumo de nicotina não foi um fator de doenças relacionadas ao tabaco.

Anúncios

Além disso, o relatório forneceu mais evidências de que o que de fato afeta a saúde dos consumidores é o método de consumo. Embora o uso de produtos alternativos, como o snus, não represente um risco significativo, o fumo está associado a uma alta incidência de mortes e doenças.

Embora o consumo de nicotina na Suécia reflita a média europeia, o país registra uma incidência 41% menor de câncer de pulmão e menos da metade das mortes relacionadas ao tabaco de seus pares europeus. Esse forte contraste é atribuídoàampla adoção de produtos de nicotina sem fumaça, como snus, bolsas de nicotina e cigarros eletrônicos.

Anúncios

“Essa distinção entre o fumo e o uso de produtos sem fumaça é crucial”, afirma o Dr. Karl Fagerström, especialista em saúde pública e colaborador do relatório.

“Embora a nicotina seja viciante, ela não causa as doenças graves associadas ao fumo. Nossas descobertas apoiam uma mudança de foco da cessação para a substituição com alternativas menos prejudiciais para aqueles que não conseguem parar completamente.”

As medidas proativas da Suécia na educação da saúde pública e nas estruturas regulatórias incentivaram a transição para essas alternativas, impactando significativamente os resultados da saúde pública. O relatório aponta que a adoção de estratégias semelhantes de redução de danos pode ser fundamental para outras nações que se esforçam para reduzir os impactos do tabaco na saúde.

O Dr. Fagerström acrescentou: “A experiência sueca demonstra que entender e abordar as percepções errôneas do público sobre a nicotina pode levar a políticas de saúde que protejam e informem melhor os consumidores”.

Notas para os editores

O relatório completo está disponível on-line em www.smokefreesweden.org – um resumo executivo está disponível no link a seguir (https://smokefreesweden.org/Executive%20Summary%20No%20Smoke%20Less%20Harm.pdf) e oferece uma análise detalhada dos dados que sustentam os resultados de saúde da Suécia, juntamente com recomendações para os formuladores de políticas que desejam adotar abordagens semelhantes em seus países.

Sobre a Smoke Free Sweden

O Smoke Free Sweden é um movimento que incentiva outros países a seguir a experiência sueca no que diz respeitoàredução de danos causados pelo tabaco. A Suécia está prestes a se tornar o primeiro país europeu “livre de fumo”, com uma taxa de tabagismo abaixo de 5%. Essa conquista notável pode ser atribuídaàatitude aberta da Suécia em relação a produtos alternativos.

Para mais informação sobre o êxito da abordagem sueca em se tornar um país livre de fumo, acesse www.smokefreesweden.org.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Smoke Free Sweden

Jessica Perkins

info@smokefreesweden.org

www.smokefreesweden.org

Fonte: BUSINESS WIRE

Talvez te interesse

Últimas

Anúncios Ao longo de março, abril e maio foram desenvolvidas diversas etapas do projeto Geo-escola na Escola Municipal de Ensino...

Categorias