18 de maio, 2024

Últimas:

A Bristol Myers Squibb Foundation anuncia R$ 9,75 milhões em doações no decorrer de 3 anos para reduzir disparidades no tratamento do câncer entre afrodescendentes e indígenas no Brasil

Anúncios

A Bristol Myers Squibb Foundation (BMS Foundation) anunciou hoje a ampliação do seu apoio aos cuidados inclusivos e equitativos contra o câncer no Brasil. Através de novas doações a dez instituições brasileiras, serão destinados cerca de R$ 9,75 milhões ao longo de três anos, com foco em combater as disparidades no cuidado do câncer que afetam pacientes afrodescendentes e indígenas. Essa segunda fase da Iniciativa Global de Disparidades do Câncer da BMS Foundation vem na sequência de quatro doações anteriores para combater disparidades do câncer em 2021, feitas a organizações brasileiras que melhoram a prestação de cuidados de alta qualidade para câncer de pulmão e câncer de pele em comunidades rurais e carentes de serviços sanitários.

As taxas de incidência e mortalidade para cânceres de mama, cervical e ovariano são altas entre as comunidades afrodescendentes e indígenas das Regiões Norte e Nordeste do Brasil. Lá, muitas vezes os pacientes enfrentam barreiras para o acesso ao tratamento do câncer devidoàdisparidades socioeconômicas, diferenças culturais e linguísticas, e desafios enfrentados por comunidades remotas. As dez organizações beneficiadas são reconhecidas pelo trabalho para endereçar essas desigualdades e lacunas no tratamento do câncer que afetam os povos afrodescendentes e indígenas.

Anúncios

“A BMS Foundation reconhece a grande populaçãode pacientes carentes no Brasil que precisam de melhor acesso ao diagnóstico, tratamento e cuidado com o câncer”, afirmou John Damonti, presidente da Bristol Myers Squibb Foundation. “O objetivo dessas doações é preencher as lacunas do tratamento oncológico para pacientes afrodescendentes e indígenas no Brasil, e é um símbolo do trabalho direcionado que a BMS Foundation prioriza com nossa Iniciativa Global de Disparidades do Câncer. Estamos ansiosos para ver como essas iniciativas farão a diferença no acesso e no tratamento e, em última instância, na melhoria dos resultados dos pacientes.”

As organizações beneficiadas e suas respectivas iniciativas incluem:

Anúncios

  • OSenai Cimatec, que prestará serviços de prevenção do câncer de mama a mulheres afrodescendentes e indígenas residentes no Bairro da Paz e arredores, em Salvador, Bahia.
  • O Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira, querealizará um projeto abrangente para oferecer assistência clínica, engajamento do paciente e treinamento de profissionais de saúde sobre prevenção e cuidados do câncer cervical, além de um projeto de pesquisa e rastreamento focado em mulheres afrodescendentes, indígenas e quilombolas que vivem no estado de Pernambuco.
  • O Hospital de Amor/Hospital de Câncer de Barretos (HCB), que criará e lançará uma campanha de conscientização e educação culturalmente competente voltada para pacientes de câncer afrodescendentes que vivem na cidade de Barretos, com foco especial em cânceres de pele, mama, cervical, próstata, oral, pulmão, melanoma e outros.
  • AAssociação AssistencialàSaúde Indígena e de Povos das Florestas (Xingu +Catu) planeja oferecer vacinação contra o papilomavírus humano (HPV) e triagem de câncer cervical, levando a diagnósticos e encaminhamentos ao tratamento, bem como uma campanha educacional para promover a conscientização e o empoderamento de mulheres que vivem na reserva Parque Indígena do Xingu.
  • OHospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC)/Universidade de Pernambuco (UPE), que implementará um programa de navegação para pacientes idosos afro-brasileiros com câncer de mama ou de próstata, residentes no estado de Pernambuco, fornecendo aos pacientes e suas famílias recursos para reduzir ou eliminar barreiras ao tratamento.
  • OInstituto Oncoguia, que criará uma rede nacional de apoio, defesa e empoderamento da voz dos pacientes afrodescendentes, com o objetivo de elaborar um cuidado mais abrangente para populações vulneráveis e negligenciadas, e implementar estratégias autogeradas para reduzir as lacunas do cuidado do câncer no Brasil.
  • OProjeto de Assistência Populacional (PAP), que planeja expandir o acesso a serviços de cuidados do câncer para as comunidades indígenas Xakriaba, implementando ações de saúde digital e rastreamento sistematizado para a promoção da saúde, prevenção e tratamento do câncer de forma inclusiva e culturalmente sensível.
  • ASanta Casa de Misericórdia de Porto Alegre e o Instituto de Governança e Controle do Câncer, que trabalharão para melhorar o diagnóstico precoce, a navegação dos pacientes e o cumprimento da Lei 12.732/12, que regulamenta o período máximo que o paciente com câncer deve esperar para iniciar seu tratamento, de até 60 dias, para pacientes afrodescendentes com câncer de próstata, pulmão e mama, no Rio Grande do Sul.
  • OProjeto Saúde e Alegria, que usará a doação em prol do diagnóstico precoce, da prevenção e do tratamento de câncer cervical e câncer de pele/melanoma, nas comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas de Baixo Tapajós, na região Norte do Brasil.
  • OInstituto do Câncer do Estado de São Paulo planeja realizar um ensaio clínico randomizado que examina a implementação de uma estratégia antirracismo na navegação oncológica de pacientes afrodescendentes com câncer cervical, visando reduzir os tempos de início e conclusão do tratamento.

Sobre a Bristol Myers Squibb Foundation

A Bristol Myers Squibb Foundation, uma organização filantrópica independente, visa promover a equidade em saúde para comunidades carentes. Durante quase um quarto de século, ela se aventurou para ajudar pacientes acometidos por doenças graves, do continente africanoàChina, passando pelas Américas. A Bristol Myers Squibb Foundation adota abordagens inovadoras que têm o potencial de remodelar o sistema de saúde, criando alianças com setores governamentais, sem fins lucrativos, acadêmicos e privados, a fim de instigar novas possibilidades de alcançar a equidade em saúde. A BMS Foundation está desafiando as normas em suas áreas terapêuticas foco e disciplinas transversais, como a diversidade em estudos clínicos, para criar sistemas mais equitativos e sustentáveis de prestação de serviços de saúde. Essa iniciativa visa promover mudanças significativas nas comunidades que atende, com o objetivo final de proporcionar um tratamento mais justo e igualitário para todos os pacientes.

Para mais informações, visite a Bristol Myers Squibb Foundation (bms.com).

Contato:

Nikki Copas

Nikki.Copas@bms.com

Fonte: BUSINESS WIRE

Talvez te interesse

Últimas

Anúncios A campanha de vacinação contra Influenza continua de forma ampliada para o público em geral, com idade acima de...

Categorias