29 de maio, 2024

Últimas:

Lesões no ombro podem ser prevenidas com fortalecimento e consciência postural

Lesões no ombro podem ser prevenidas com fortalecimento e consciência postural

Anúncios

De acordo com informações do site da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, o manguito rotador é um complexo grupo de quatro unidades músculo-tendão essenciais para a estabilidade e mobilidade do ombro. Ele envolve a parte anterior, superior e posterior da articulação do ombro, desempenhando um papel fundamental na estabilização do úmero e equilíbrio dos movimentos. Lesões nessa área são comuns e podem variar em gravidade, desde inflamações e tendinites até rupturas parciais ou totais dos tendões, o que pode resultar na perda parcial ou total da função do ombro.

Lesões são classificadas em diferentes estágios, cada um com características específicas. A fase inicial é marcada por edema, inflamação e hemorragia, enquanto a fase intermediária apresenta fibrose e tendinite, podendo ou não estar associada a lesões parciais dos tendões. Na fase avançada, ocorre a ruptura completa do tendão, muitas vezes acompanhada por alterações ósseas. O diagnóstico e tratamento adequados dessas lesões são essenciais para prevenir complicações e restaurar a função do ombro.

Anúncios

Segundo o ortopedista Dr. Thiago Caixeta, do Hospital Mater Dei Premium Goiânia, os sintomas vão desde dor persistente, durante movimentos específicos do braço, a uma sensação de fraqueza ao tentar erguer objetos. “O paciente com lesão do manguito rotador geralmente tem uma dor parecida com a tendinite ou a bursite, muitas vezes até menor, mas ele tem perda de força, então não consegue levantar um objeto”, explica o médico. “A dor na região do ombro, especialmente na lateral do braço, se agrava ao levantar o braço, seja para os lados ou para frente, acima do nível do ombro. Além disso, muitos experimentam desconforto ao deitar, especialmente ao virar por cima do ombro”, afirma. 

O diagnóstico diferencial entre tendinite, bursite e lesão do manguito rotador requer uma abordagem cuidadosa, destacando as queixas do paciente e realizando exames clínicos apropriados. “A ressonância magnética dá uma ideia melhor para avaliar o que está acontecendo”, ressalta o Dr. Thiago.

Anúncios

O médico ressalta que no que diz respeito ao tratamento, a individualização é fundamental. Para casos menos graves, medidas não cirúrgicas, como fisioterapia e correção postural, podem ser eficazes. No entanto, em rupturas completas dos tendões, a intervenção cirúrgica pode ser necessária para restaurar a função adequada do ombro.

Conforme explica o ortopedista, a idade desempenha um papel significativo no desenvolvimento de lesões no ombro, especialmente relacionadas ao manguito rotador. “Geralmente, pacientes acima dos 40 anos estão mais propensos a essas condições, devido a uma combinação de fatores. Microtraumas repetitivos no trabalho, prática esportiva ou atividades de lazer, ao longo dos anos, podem desencadear problemas no ombro, especialmente quando associados a uma predisposição genética. Com o envelhecimento, ocorrem mudanças degenerativas nos tecidos, tornando os tendões mais suscetíveis a rupturas. Por volta dos 60 anos, é mais comum observar essas lesões, o que pode resultar em complicações como bursite e tendinite”. 

Quando se trata de prevenção, o Dr. Thiago enfatiza a importância do fortalecimento muscular e da conscientização postural. Evitar atividades que sobrecarregam o ombro e adotar uma abordagem proativa para o condicionamento físico são passos essenciais na redução do risco de recorrência dessas lesões.

“As lesões do manguito rotador não discriminam profissões ou atividades; elas podem afetar qualquer pessoa que esteja sujeita a movimentos repetitivos ou sobrecarga no ombro. Por exemplo, cabeleireiros e costureiras frequentemente realizam movimentos que exigem elevação do braço acima do nível do ombro, o que pode contribuir para o desenvolvimento dessas lesões. Além disso, donas de casa que realizam tarefas domésticas que envolvem levantar objetos pesados ou alcançar lugares altos também estão em risco. No mundo esportivo, jogadores de vôlei, basquete e tênis e praticantes de treinos funcionais, crossfit, artes marciais como Jiu-Jitsu e Judô, estão sujeitos a movimentos bruscos e repetitivos que podem causar lesões no manguito rotador. Portanto, é essencial fazer ajustes na rotina diária, buscar correção postural e realizar fisioterapia para fortalecer os músculos do ombro e evitar complicações futuras”, explica o médico.

Talvez te interesse

Últimas

Estudo divulgado nesta 3ª feira (28) confirma que mineração é um dos setores com emissões mais baixas de gases de...

Categorias