16 abril, 2024

Últimas:

Índice Nacional de Custo da Construção sobe em dezembro

Índice Nacional de Custo da Construção sobe em dezembro

Anúncios

Segundo dados publicados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), no mês de dezembro, o Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) revelou uma variação de 0,26%, marcando uma aceleração em relação ao mês anterior, quando o índice havia apresentado um aumento de 0,10%. O relatório ainda aponta os dados acumulados de 3,32% no ano e comparou com dezembro de 2022, quando o índice aumentou 0,27% no mês, apresentando um crescimento acumulado de 9,40% ao longo de 12 meses.

Ainda sobre o estudo, dentro do INCC-M, a análise por categorias revela que a taxa relacionada a Materiais, Equipamentos e Serviços teve um aumento, passando de -0,12% em novembro para 0,28% em dezembro. Ainda dentro do assunto, o relatório apontou que a taxa relacionada a Materiais e Equipamentos teve uma variação de 0,30% em dezembro, representando um aumento em relação aos -0,17% observados no mês anterior. Nota-se que dois dos quatro subgrupos componentes apresentaram acréscimo em suas taxas de variação, incluindo o subgrupo “materiais para instalação”, que passou de -1,24% para 1,09%. A variação relativa a Serviços passou de 0,39% em novembro para 0,09% em dezembro. Além disso, nota-se uma queda na taxa do item “projetos”, que passou de 0,36% para -0,12%.

Anúncios

Os números sobre a taxa de variação relacionada à Mão de Obra foram registrados na publicação. O relatório indicou uma redução em dezembro, marcando 0,23%, em comparação com 0,42% observado no mês anterior do mesmo ano. A análise por níveis de especialização revela variações de 0,21%, 0,25% e 0,14% para as categorias de Auxiliar, Técnico e Especializado, respectivamente, conforme registrado na publicação.

José Antônio Valente, diretor da empresa de franquia de locação de equipamentos para construção civil Franquias Trans Obra comentou sobre a taxa de variação relacionada à Mão de Obra e afirmou que a dinâmica específica de cada componente desse grupo pode influenciar diretamente nos custos da construção e isso demanda uma análise mais detalhada para compreensão dos fatores que estão por trás dessas variações. “Essa variação pode ser reflexo de diversos fatores, como ajustes sazonais ou uma estabilização no mercado da construção civil”.

Anúncios

Ainda sobre o relatório, é possível verificar informações sobre o INCC-M de capitais. A publicação apontou que três delas registraram aumento em suas taxas de variação: Brasília, Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. O estudo também revelou que Salvador apresentou recuo na taxa.

A publicação ainda apontou dados sobre as maiores influências positivas no INCC-M de dezembro. A informação, que pode ser conferida através do link no início desta matéria, mostra que os maiores influenciadores da variação percentual do INCC-M foram os tubos e conexões de PVC, blocos de concreto, elevador, eletrodutos de PVC e bombeiro. Por outro lado, é possível verificar que os vergalhões e arames de aço ao carbono, vidros, esquadrias de ferro, projetos e pias, cubas e louças sanitárias foram as maiores influências negativas no INCC-M para o mês de dezembro de 2023.

Perguntado sobre o assunto, José Antônio disse que com base nos dados apresentados, a situação do setor da construção civil revela uma dinâmica complexa, com diferentes variáveis influenciando o INCC-M em dezembro, apontando para a necessidade de uma análise cuidadosa dos diversos componentes que compõem esse índice.

Últimas

Nova pesquisa revela que 83% das cadeias de suprimentos não conseguem lidar com interrupções em 24 horas

16/04/2024

Pesquisa global com 1.800 líderes de cadeias de suprimentos revela que tempo médio de resposta é...

Categorias