17 de junho, 2024

Últimas:

Moda sustentável do Brasil ocupa showroom em Milão

Moda sustentável do Brasil ocupa showroom em Milão

Anúncios

O showroom aberto em fevereiro está localizado em uma das áreas de moda mais movimentadas da Europa, a Galleria Passarella, no entorno da catedral de Milão. O espaço tem atraído compradores, jornalistas, influenciadores e estudantes. A ideia é consolidar a oferta de roupas e acessórios produzidos com materiais sustentáveis e com atenção aos direitos dos trabalhadores e desenvolvimento social.

No showroom, a Natural Cotton Color, certificada com o Friends of the Earth desde 2022, investiu pela primeira vez em uma coleção de inverno exibindo peças em Denim e Jacquard de algodão colorido orgânico da Paraíba com forros em feltros de lã produzidos do sul do país pela Dona Rufina – empresa também certificada pela WSO. Há peças em malha e em tecidos planos de algodão. Grande parte do que está em exposição tem intervenção artesanal, sobretudo com Labirinto – uma técnica manual tombada como patrimônio imaterial da Paraíba e que é produzida por mulheres artesãs no município de Ingá.

Anúncios

Na inauguração do Showroom, a WSO ofereceu o webinar “Produção e certificação sustentável de algodão” realizado com Rreze Masha, do departamento de ciências da Friend of the Earth, e a designer Naomi Enetomhe, da Sustainable. A apresentação foi a Natural Cotton Color, com palestra da consultora de marcas Elis Janoville.

Abertura de mercado de moda internacional

Anúncios

Para Francisca Vieira, CEO da Natural Cotton Color, a exposição em Milão deve garantir a expansão comercial da marca no mercado internacional de forma mais segmentada. “Já faz parte da empresa participar de feiras globais de moda com estandes e até desfiles. No entanto, os contatos adquiridos são realizados pós-evento a partir do Brasil. No caso do showroom, além do destaque exclusivo para a moda sustentável, há uma continuidade com pessoal especializado no mercado de moda italiano. Isso ajuda a elevar a consciência sobre o nosso trabalho que tem como base o compromisso com a cadeia produtiva do algodão”, explica. Vale destacar que o algodão colorido orgânico é cultivado na região do semiárido da Paraíba com contrato de compra garantida com a associação de agricultores familiares. A pluma já nasce em tons de bege, marrom e verde sem aditivos químicos e têm certificado internacional de produto orgânico. De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), por não usar irrigação na cultura, nem tingimento nos tecidos, o algodão colorido economiza até 87,5% de água quando comparado a um produto similar produzido pela indústria. 

Paolo Bray, diretor do WSO, concorda que a narrativa é importante neste segmento. “Somos a primeira e única certificação no principal hub da moda. É um desafio que está sendo muito apreciado pelos consumidores, que demonstram interesse e curiosidade sobre certificações e ficam entusiasmados em ouvir a história por trás das peças de moda expostas”.

A Natural Cotton Color está acompanhada de outras seis empresas que produzem peças feitas com materiais e processos sustentáveis e verificados. Há marcas da Suíça e da Itália, além de outras três marcas brasileiras: Celeste, Demodê Ateliê e Trópicca. Duas delas também produzem peças com o algodão colorido orgânico da Paraíba. “A meta é elevar a consciência do mercado de moda internacional sobre o algodão colorido orgânico que envolve agricultura familiar, artesanato, tecidos inovadores e certificação”, reforça Francisca.

A importância do segmento da moda sustentável

Segundo estimativas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), a indústria global da moda, avaliada em quase 3 trilhões de dólares, é responsável por cerca de 8% das emissões mundiais de gases de efeito estufa. O diretor da WSO destaca que os produtos têxteis na indústria de moda convencional consomem aproximadamente 215.000 bilhões de litros de água anualmente, com produtos químicos liberados durante a produção e consumo. Além disso, o poliéster, um plástico derivado do petróleo, ultrapassou o algodão como a base da produção têxtil causando imensa contaminação de microplásticos nos oceanos e nos aterros sanitários. “A busca por tecidos alternativos ao poliéster deve, portanto, se tornar uma prática entre empresas e estilistas. Nesse sentido, a Friend of the Earth aposta em reconhecer e dar visibilidade para marcas que já começaram a pensar no tema e apostam tanto em técnicas de produção sustentáveis como na escolha de matérias-primas inovadoras”, diz Bray.

O Showroom deve se tornar a flagship “Sustainable Friends”. Parte das receitas da atividade irão principalmente para os projetos e campanhas de conservação do WSO. Todos os anos, a WSO dedica uma parte crescente de sua margem (no ano passado, mais de 35%) para projetos de conservação selecionados e certificados em mais de 40 países.

Showroom em Milão

Venda ao consumidor (B2C): Galeria Passarella, 1 | San Babila | CEP 20122
Venda para Lojistas (B2B): Via Cappuccini, 8 | Palestro | CEP 20122

Contatos para entrevista:

CEO Natural Cotton Color | Francisca Vieira  franciscavieira@naturalcottoncolor.com.br

Diretor da WSO | Paolo Bray paolobray@friendoftheearth.org

Assessoria de imprensa:

Sandra Vasconcelos: sandravasconcelos.press@gmail.com

 

Talvez te interesse

Últimas

ABAC, entidade que representa o setor em nível nacional, lança o Índice de Confiança do Setor de Consórcios - ICSC,...

Categorias