No Dia do Hambúrguer, o Méqui relembra curiosidades do pedido número 1, o Big Mac

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Big Mac é daqueles nomes que se pode gritar em qualquer lugar do mundo que alguém vai reconhecer. O sanduíche mais famoso do Méqui já tem mais de 50 anos de história e é o queridinho de milhares de pessoas. Portanto, para celebrar o Dia do Hambúrguer (28/05), o McDonald’s resgatou curiosidades sobre Big Mac que dão ainda mais significado para cada deliciosa mordida.

Tá de parabéns! – Em 1968 nasceram ícones como Will Smith, Hugh Jackman, Lucy Liu e…. o Big Mac! Foi neste ano que o sanduíche entrou oficialmente para o cardápio do McDonald’s. Seu aniversário é comemorado em 2 de agosto.

A grande atração. – O Big nem sempre foi Mac. Quando foi criado, o sanduíche foi batizado de Big Attraction. Já os sete famosos ingredientes do Big Mac são os mesmos desde a sua criação: dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola, picles e pão com gergelim (leu no ritmo?).

Hit #1 – Por falar nos ingredientes, sabia que o famoso jingle do Big Mac foi lançado nos EUA em 1974? Foi o mesmo ano de canções marcantes, como Hooked on a Feeling, do Blue Swede, e Beenie and the Jets, de Elton John. Já no Brasil, a melodia foi apresentada em 1983, quando Menina Veneno, interpretada por Ritchie, e Billy Jean, de Michael Jackson, não saíam das rádios.

No Brasil – O primeiro restaurante a preparar o Big Mac no Brasil foi o da Rua Hilário de Gouvêia, no Rio de Janeiro (RJ), quando o sanduíche veio com o McDonald’s para o país, em 1979. Esse ícone nunca saiu do cardápio.

Solidariedade acompanha? – O McDia Feliz é uma das maiores campanhas em arrecadação de fundos em prol crianças e jovens de todo Brasil. Toda contribuição acontece por causa das vendas do Big Mac, que se tornou símbolo dessa batalha. Em 31 anos de projeto, foram arrecadados cerca de R$ 324 milhões e destinados para causas de combate ao câncer de crianças e jovens e programas educacionais. 

Um sanduíche de referência – A popularidade do Big Mac mundo afora motivou que a revista The Economist lançasse, em 1986, o Índice Big Mac, que se baseia no preço do sanduíche para estimar o poder da moeda dos países ao redor do mundo. Ou seja, o índice consegue dizer se a economia de um país vai bem ou mal de acordo com o preço do Big Mac, já que ele é feito da mesma maneira e usa os mesmos ingredientes em quase todo o mundo.

As estrelas nos bastidores – Para que o Big Mac se tornasse o ícone que é hoje, milhares de funcionários contribuíram para entregá-los aos clientes todos os dias. A produção do sanduíche mais amado do McDonald’s demora menos de um minuto e envolve até quatro pessoas em seu preparo.

Fonte: Assessoria

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes