Câmara de Agudos rejeita pedido de cassação e prefeito segue no cargo

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Os vereadores de Agudos rejeitaram nesta quinta-feira (9) a possibilidade de cassar o prefeito Altair Francisco da Silva (PRB). Ele era alvo de uma Comissão Processante (CP) cujo relatório que pedia sua cassação por improbidade administrativa aprovada no início do mês passado.

Em sessão encerrada por volta das 18h, realizada com segurança reforçada e assistida por cerca de 150 pessoas, segundo a Polícia Militar, os vereadores rejeitaram os cinco itens da CP que apontavam irregularidades. Para ser aprovado, todos os itens do relatório precisariam ter o voto favorável de nove dos 13 vereadores.

Com o resultado da votação, Altair Francisco da Silva (PRB), que era acusado de ter pago R$ 5,8 mil ao locutor Everaldo Wagner da Silva por serviços não prestados, segue no cargo.

Ao final da sessão, o prefeito celebrou o resultado com seus apoiadores e prometeu abrir uma sindicância interna na prefeitura para investigar possíveis irregularidades apontadas pela Comissão Processante.

Histórico

Em meados de agosto deste ano, os vereadores de Agudos aprovaram a criação de uma Comissão Processante contra o prefeito para apurar a irregularidade apontada em denúncia foi feita por um morador da cidade.

Um mês depois, Altair Francisco da Silva, acompanhado de seu advogado, foi ouvido durante uma hora por vereadores integrantes da CP.

No início do mês passado, a CP aprovou o relatório que pedia a cassação do prefeito. Quatro dias depois, a Câmara precisou suspender a sessão que votaria cassação porque dois vereadores teriam sido ameaçados.

Mesmo assim, o prefeito compareceu à Câmara, acompanhado de seus apoiadores. Nesta quinta, aconteceu a votação que absolveu o prefeito.

Altair Francisco da Silva festeja com apoiadores a sua absolvição em votação da Câmara de Agudos (Fotos: Reprodução / TV TEM)

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes