Espanhol violentava a filha e outras jovens para livrá-las de ‘espíritos malignos’

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Prestes a ir a julgamento na Espanha, um homem acusado de estupro, que diz pertencer à “Ordem de Odin”, afirmava que suas vítimas tinham “espíritos malignos& #8221; em seu interior e que a única forma de ajudá-las seria praticando um “ritual sexual”, de acordo com a imprensa espanhola.

O Ministério Público do país afirma que, entre 2012 e 2014, Javier G.D. estuprou repetidas vezes sua filha e outras duas adolescentes, todas com 15 anos de idade, em Baix Llobregat, na região de Barcelona.

O homem pode ser condenado a 45 anos de prisão na próxima semana. Javier pode ter ainda que indenizar em 150 mil euros as vítimas por danos morais.

Para persuadir suas vítimas, Javier afirmava às jovens que, se não concordassem em “praticar rituais sexuais”, suas famílias estariam em perigo e “coisas ruins aconteceriam”. Ele chegou a dizer a uma das vítimas que, se ela não comparecesse a uma de suas “consultas”, sua irmã morreria.

Um relatório das investigações divulgado pela imprensa do país aponta que o homem estuprava duas vezes por semana a própria filha. A promotoria afirma que, quando a adolescente tentava impedir o estupro, seu pai dizia que, sem o ritual, o negócio da família iria mal e que ela seria a culpada. Também dizia que nunca entraria na “Ordem de Odin”.

O Ministério Público da Espanha também pede 9 anos de prisão à mulher de Javier — e mãe de sua filha — por cumplicidade. Segundo o promotor do caso, supostamente, a mulher consentia com as agressões. Ela estava presente em casa quando as adolescentes sofriam os abusos sexuais e chegava a perguntar como havia sido as “consultas” realizadas pelo marido.

 

Fonte: Extra

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes