Duas pessoas morreram durante plebiscito informal na Venezuela, diz oposição

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Duas pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas neste domingo (14) durante a votação do plebiscito informal organizado pela oposição contra a Assembleia Constituinte convocada pelo presidente Nicolás Maduro. Segundo fontes da oposição venezuelana, o ataque foi realizado por grupos paramilitares governistas em Catia, subúrbio ocidental da capital venezuelana Caracas, onde milhares de pessoas participavam do evento da oposição.

O Ministério Público venezuelano confirmou a morte de uma pessoa. No Twitter, a procuradoria afirmou que investiga a morte e os feridos causados pela “situação irregular”.

A vítima foi identificada como a enfermeira Xiomara Scott, de 61 anos. Segundo o chefe da campanha que organizou o plebiscito, Carlos Ocariz, grupos pró-governo atacaram o lugar com tiros e bombas de gás lacrimogêneo. Mais de 300 pessoas se protegeram de confusão dentro da igreja de El Carmen.

Polícia venezuelana faz primeiras investigações no local do crime, em Caracas (Foto: Reuters)
Polícia venezuelana faz primeiras investigações no local do crime, em Caracas (Foto: Reprodução)

A polícia já está no local. A deputada oposicionista Marialbert Barrios responsabilizou Maduro pelo ato violento. “Ele é o único responsável por esta barbárie. Nunca mais poderão zombar de Catia. Esse povo decidiu mudar”, escreveu Marialbert em sua conta Twitter.

 
Protesto durante o plebiscito informal na Venezuela (Foto: France Presse)
Protesto durante o plebiscito informal na Venezuela (Foto: Reprodução)

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes