Cientistas revelam esqueleto de ancestral humano de 3,6 milhões de anos

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Pesquisadores da Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, na África do Sul, exibiram pela primeira vez o “Little Foot”, ou pé pequeno. Exames por datação de carbono indicam que o esqueleto tem 3,6 milhões de anos, e é considerado o mais completo fóssil de ancestral humano com mais de 1,5 milhões de anos. Os primeiros fragmentos foram encontrados em 1994, mas as escavações foram concluídas apenas em 2012.

— Esta é uma das mais importantes descobertas de fósseis na história das pesquisas sobre as origens humanas — declarou o professor Ron Clarke, que em 1994 encontrou os primeiros fragmentos do esqueleto e, desde então, trabalha na sua reconstrução.

“Little Foot” foi encontrado nas cavernas Sterkfontein, a cerca de 40 quilômetros de Joanesburgo. Clarke identificou em 1994 pequenos fragmentos de ossos dos pés e das pernas incrustados em rochas removidas anos antes pela mineração. Três anos depois, ele retornou ao local e desceu para o subterrâneo das cavernas, em busca do resto do esqueleto. E o encontrou.

Fóssil pode revelar detalhes sobre a anatomia e habilidades físicas dos nossos ancestrais (Fotos: Themba Hadebe)

Os trabalhos de escavação foram concluídos apenas em 2012, quando os últimos elementos visíveis foram removidos da caverna. O esqueleto foi exibido somente agora, mais de 20 anos após a descoberta dos primeiros fragmentos, porque durante este período Clarke e sua equipe trabalharam na escavação, limpeza e reconstrução do fóssil.

— Eu e meus assistentes trabalhamos duros na limpeza dos ossos nos blocos de rocha e na reconstrução do esqueleto completo até o dia de hoje — justificou o pesquisador. — Muitos dos ossos do esqueleto são frágeis, e estão profundamente incrustados em rochas parecidas com concreto conhecidas como brecha. O processo exigiu escavação extremamente cuidadosa no ambiente escuro da caverna Assim que as superfícies de cima dos ossos do esqueleto foram expostas, a brecha onde eles estão presos foram cuidadosamente cortados e removidos em blocos para limpeza no laboratório.

O esqueleto recebeu o apelido de “Little Foot” porque a descoberta inicial foi de quatro pequenos fragmentos de ossos dos pés. Com a reconstrução quase completa do fóssil, Clarke acredita que novos conhecimentos surgirão sobre a aparência, anatomia, comprimento dos membros e habilidades motoras de um de nossos ancestrais. Os resultados dos primeiros estudos serão publicados em breve numa série de artigos em revistas científicas.

Ron Clarke, da Universidade de Witwatersrand, descobriu os primeiros fragmentos do fóssil em 1994 (Foto: Themba Hadebe)

 

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes