Artigo: Quem te atende na internet pode ser um robô e isso é perigoso – por Renato Fernandes

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Quem trabalha com vendas on-line sabe o transtorno que é responder perguntas básicas sobre seus produtos. Questões repetitivas são problemas no atendimento das lojas virtuais. E se fosse possível automatizar esse atendimento?

Essa possibilidade existe e se chama Chat Robot ou Chat bot. Sua implantação é simples e compatível com as redes sociais. Existem inclusive sites especializados no assunto.

Através desses programas é possível configurar respostas como valores, pagamento, frete, entre outras perguntas chatas e que são repetidas por quase todos os clientes.

Dependendo da habilidade do criador, o Chat Bot pode ser instalado em perfis fakes e rastrear (caçar) potenciais consumidores vasculhando a intimidade e informações públicas dos perfis alvo, como: preferências, localização, curtidas, álbuns de fotos, podendo pedir amizade e oferecer seus produtos de maneira automática. Existe uma infinidade de sites que possibilitam a criação de Chat Bot, com opções pagas e gratuitas, porém, os mais poderosos são aqueles desenvolvidos sob encomenda. Geralmente os gratuitos são falsos e os clientes notam logo que trata-se de uma máquina respondendo as dúvidas.

Porém, alguns Chat Bot estão surpreendendo o mundo. Um desses exemplos é recente, como o revelado na semana passada quando o Facebook noticiou a desativação de duas Inteligências Artificiais programadas para resolverem problemas simples e negociar trocas. Elas criaram um sistema próprio de linguagem e tiveram que ser descontinuadas.

Por que a desativação? Simples, esse tipo de inteligência artificial não possui ética e muito menos responsabilidade e, dependendo, da intenção dos programadores podem ser inseridas nas redes sociais como um vírus, gerando consequências como o famoso jogo da Baleia Azul.

Caso não acreditem pesquisem no Google os termos: “baleia azul Chat Bot” e se surpreenda, o jogo do suicídio pode ter tido como start um robozinho criado para facilitar o comércio on-line.

Renato Fernandes é artista plástico e cosmaker. Atuou como jornalista por 20 anos.

Fonte: Jornal Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes