Jornalista morre em ponto de ônibus em São Paulo

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O jornalista Oswaldo Ribas, de 64 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (11) após ser baleado durante um assalto na Zona Oeste de São Paulo. O crime ocorreu às 5h30, na Rua Isabel de Castela, altura do número 35, no Alto de Pinheiros.

Ribas trabalhava havia 20 anos na agência de comunicação CDN. Atualmente, atuava como gerente de análise de assuntos internacionais.

Em nota, a agência afirma que o jornalista foi assassinado enquanto se deslocava para a empresa.

& #8220;Até o momento, o que sabemos é que ele foi assaltado no ponto de ônibus, quanto vinha para a CDN. Recebeu um tiro. Levado ao pronto-socorro do HC [Hospital das Clínicas, na Zona Oeste], já chegou sem vida.”

A CDN lamenta o falecimento de Ribas e diz prestar apoio aos familiares. Oswaldo era casado, tinha três filhos e dois netos.

“Todos os que conhecem o Oswaldo sabem que, em 19 anos trabalhando na CDN, ele foi sempre um excelente profissional. Mas, para nós, o que mais fará falta é a pessoa e o colega, dos melhores, sempre”, afirmou, em nota, o presidente da CDN, João Rodarte.

Biografia

Na CDN, Ribas atendeu a grandes grupos empresariais e bancos públicos como Banco do Brasil, Petrobras, BNDES e Telefónica. Era graduado em Jornalismo pela Unip e Ciências Sociais pela USP.

Foi editor de Finanças Internacionais da Gazeta Mercantil. Redator, repórter e editor assistente nas editorias de Internacional e Economia do Estadão, quando participou do projeto de edição brasileira do The Wall Street Journal Americas. Foi editor do boletim Indicadores Iesp, da Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap).

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes