Polícia prende em Botucatu suspeito de participar de ataques a bancos de Pardinho

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

gentes da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e do Grupo de Ações Preventivas Especiais da Guarda Municipal (Gape) de Botucatu (SP) prenderam nesta sexta-feira (15) mais um suspeito de ter participado do assalto aos bancos de Pardinho, no último dia 5 de novembro.

O suspeito, de 48 anos, foi preso em uma residência em Botucatu. Ele é o segundo detido acusado de ter participado do crime. O primeiro foi preso em Pardinho no dia seguinte aos ataques e com ele foi apreendido um fuzil calibre 556 e munições.

De acordo com a polícia, até agora cinco criminosos já teriam sido identificados e tiveram a prisão preventiva decretada. Agentes a Civil seguem em diligências na busca dos outros três suspeitos.

Segundo os moradores da cidade, mesmo 40 dias após as explosões, as duas agências bancárias seguem com seus atendimentos prejudicados. Uma delas continua fechada e a outra está aberta apenas para serviços básicos, sem fazer transações financeiras.

Procuradas, as duas instituições, Santander e Bradesco, ainda não se manifestaram sobre o restabelecimento completo dos serviços.

Tiros e explosões

A ação dos criminosos deixou a população assustada na cidade de pouco mais de 6 mil habitantes. Os criminosos encapuzados chegaram à primeira agência e um deles ficou do lado de fora enquanto outros três entraram, quebrando a porta de entrada com uma marreta.

Logo após aconteceram explosões para destruir os caixas automáticos. Em seguida, os criminosos passaram de carro atirando em uma base da Polícia Militar, a 100 metros do banco.

De acordo com a PM, foram disparos de metralhadora e fuzil. Os três policiais que estavam na base precisaram pedir reforços. Alguns dos tiros atingiram o teto de um posto de combustíveis e uma janela de uma casa. Ninguém ficou ferido.

Na sequência, o grupo invadiu a segunda agência pelos fundos do banco, localizada a poucos metros da outra. Neste, explodiram um dos cofres e levaram o dinheiro e as armas dos vigias que estavam guardadas. Toda a ação levou cerca de 30 minutos.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes