Botucatu: Assassinato vira tema de episódio de série criminal de televisão

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um crime brutal que chocou Botucatu em 2014, será tema da série “Investigação Criminal – Crimes Perversos” do canal pago AXN (144 VIVO, 138 NET, 50 SKY e 92 GVT).

O assassinato do português Laurindo Pires Marques, 68 anos, encomendado pela própria esposa, foi investigado e elucidado  pela DIG de Botucatu, através das investigações do Delegado Geraldo Franco.A equipe de gravação passou a semana em Botucatu colhendo entrevistas e depoimentos. O programa ainda não tem data prevista para ir ao ar.

Na página oficial do programa no Facebook há um vídeo que mostra os bastidores da gravação. Investigação Criminal é uma Série da Medialand licenciada para o canal A&E. Direção Carla Albuquerque e Beto Ribeiro.

Curta a página Oficial da Série: Investigação Criminal

A série mostra como foram os dias de investigação dos crimes que abalaram o país. Casos como Alexandre Nardoni, Suzane von Richthofen, Farah Jorge Farah, Champinha e outros 6 criminosos trazem a mesma pergunta: por quê? Veja como a polícia conseguiu desvendar os crimes mais conhecidos do Brasil.

O crime

Foto Arquivo Divulgação GCM

Em julho de 2014 uma mulher de 57 anos, identificada como Antônia Eleta Santucci, a “Preta”, foi presa pela Polícia Civil de Botucatu acusada de encomendar o assassinato do próprio marido, corretor de imóveis de 68 anos, de nacionalidade portuguesa, em abril do mesmo ano.

Os executores do crime foram quatro adolescentes, entre 14 e 16 anos, e um jovem de 19 anos. Segundo a polícia, eles disseram que receberam R$ 300,00 pelo “serviço” e confessaram o homicídio com riqueza de detalhes.O delegado diz que os quatro adolescentes estudam na mesma escola e que a “contratação” teria sido intermediada pela professora deles, de 51 anos, irmã de Antônia, que também foi presa. As investigações apontaram que Antônia presenciou a morte.

Na sala da casa, puseram corda no pescoço dele, deram duas voltas e ficou um adolescente em cada ponta puxando, inicialmente sem força.Nesse momento, a dona de casa teria questionado o corretor sobre suposta traição e cobrado a transferência de bens para o seu nome.Em seguida, ela teria dado ordem ao grupo para que o marido fosse morto.

O corpo da vítima foi colocado em sua Montana e levado até proximidades de um canavial no bairro Ouro Verde, onde foi encontrado no dia seguinte. Antônia e os adolescentes também seguiram para o local no carro dela.

Logo após o assassinato do marido, de acordo com o delegado, Antônia usou o celular dele para mandar uma mensagem de texto para ela com o objetivo de ocultar o crime. No texto, ele a chamava de “Preta”, pedia perdão e dizia para ela procurar um amigo para pedir orientação e receber dinheiro. “A mensagem denota que ele ia praticar suicídio ou sumir da cidade”, conta. Segundo Olindo, os acusados ainda tentaram amarrar o corretor de imóveis no galho de uma árvore para simular um suicídio por enforcamento, mas não conseguiram e acabaram abandonando-o ao lado de seu veículo. ‘Fugiu do controle’, disse a mandante na época. (Com JCNET)

Fonte: Leia Notícias

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes